INHABITAT – Pedro Senna e Priscila Sato

Image

– Objetivo

            O blog, em termos gerais, pretende se desvencilhar do gosto popular e atingir o modo de vida das pessoas, criando conexões diretas com os leitores para que se integrem mais aos assuntos abordados, possibilitando levá-los à prática. “Bom design não é cor, estilo ou tendências, deve considerar o usuário, a experiência, os contextos social e cultural e o impacto do objeto no ambiente que o cerca”. – Blog Inhabitat.

 

– Funcionamento e opções

            O blog inhabitat é muito diversificado e possui dezenas de ramificações a partir de dez temas principais, são eles: arquitetura; interiores; produtos; tecnologia; energia; transporte; moda; arte; crianças; concursos.

Image

A página inicial do website apresenta as últimas publicações realizadas, englobando cada uma das dez principais categorias. Há um espaço para a pesquisa de notícias por categoria ou data de publicação, juntamente com a opção “feeds”, entre outros sistemas por onde o usuário interessado pode receber notícias instantâneas do inhabitat através do celular ou redes sociais.

Ainda na página de apresentação do blog há campos separados para: comentários recentes; publicações recentes; tendência de tópicos; matérias mais populares e comentadas; leitura recomendada; filmes recomendados e publicidade, em geral relacionada a produtos ambientalmente corretos.

Quadros em maior destaque apresentam vídeos feitos pelos próprios autores do blog nos quais fornecem dicas sobre como melhorar a eficiência energética das casas, diminuição de gastos, economia de água, produtos, entre outros. São métodos e soluções caseiras que podem ser praticadas por qualquer pessoa, devendo levar em consideração os aspectos culturais e ambientais do local onde mora, realizando as devidas adaptações.

Um campo chamado “lista telefônica” proporciona facilidades ao usuário, onde o mesmo pode escrever o que procura (por exemplo, placas solares, isolamento térmico etc.) e completar a pesquisa com seu código postal, assim, são listados profissionais ou empresas especializadas no assunto procurado que se encontram mais próximos do usuário (com alcance apenas para os Estados Unidos da América).

O “Guia NYC”, apresenta opções de restaurantes, destinos, eventos, compras, serviços, entre outras, que estão disponíveis na cidade de Nova York, juntamente com o “calendário”, onde há uma lista de eventos a serem realizados durante um determinado mês, eventos esses, em sua maioria, de cunho social e ambiental.

Ao escolher uma categoria e, portanto, uma publicação, ao fim da leitura há links para outros três projetos que estão relacionados de alguma forma com o primeiro. As publicações são breves e valorizam imagens, porém, ao longo do texto, há palavras-chave em forma de links que levam o leitor a outros sites, proporcionando mais informações sobre o projeto ou elementos a ele agregados.

– Como publicar

            O blog inhabitat é livre quanto à publicação de projetos por seus usuários, desde que sejam devidamente cadastrados. Porém, há um filtro dos autores originais do blog quanto ao assunto que determinado usuário pretende publicar. Os interessados devem, previamente, escrever um breve resumo da matéria com algumas imagens para que os autores originais analisem e vejam se o assunto está de acordo com o perfil, com o foco e as propostas do site. Passada por essa aprovação, o dado usuário envia a matéria completa, passando por um segundo filtro dos autores, onde analisam novamente o conteúdo e a ortografia, caso esteja tudo correto, o projeto é publicado, caso contrário, se o texto estiver mal escrito, por exemplo, os autores simplesmente não o publicarão, não o reescrevendo de maneira alguma.

– Considerações sobre o blog

            Inhabitat se mostra um blog organizado, de fácil navegação, objetivo e extremamente diversificado, onde o aprofundamento em suas ramificações, sempre coerentes, evita do usuário se perder em sua própria pesquisa. As diferentes abordagens de assuntos por diferentes meios, como textos, vídeos ou entrevistas e o envolvimento que o blog cria com o usuário contribuem como pontos positivos para a estrutura do site. Sua diversidade tem um preço (que poderia não ser pago), os projetos são abordados de maneira muito superficial e acabam por frustrar o leitor, já que os assuntos são muito interessantes, por se relacionarem diretamente com problemas da atualidade. Muitos dos projetos apresentados recentemente no blog e por nós abordados são considerados conceituais, pesquisas como ponto de partida para um maior desenvolvimento futuro para a solução de questões ambientais.

– Alguns dos projetos postados

Fúria e Fragilidade 

Image

 

A cidade litorânea de Ishinomaki no norte do Japão, após ser afetada pelo tsunami de 2011, recebeu um projeto para 2013 da estudante Nadia Kasko da Universidade de Oregon (EUA). O projeto chamado de “Fury and Fragility” consiste em uma reconstrução da cidade com quatro objetivos principais: maior resistência ao Tsunami, sustentabilidade, revitalização econômica e social.

Image

Image

Image

 

Image

Dando ênfase para a questão da segurança contra o Tsunami a proposta tem como base o conceito de “usar a natureza para proteger-se da mesma”. Assim foi desenvolvido o “sistema de multi-amortecedor”, quanto mais fricção e obstáculos para a onda atravessar, mais de sua energia será dissipada. O projeto inclui sete amortecedores, como no esquema abaixo:

Image

O primeiro amortecedor está restauração da costa, onde através de reentranças a onda dissipará parte da energia. O segundo consiste na recuperação das dunas de areia que criaram mais friccção. O terceiro apresenta a abertura de um canal paralelo a onda de entrada. O quarto, utiliza da vegetação existente e na implantação de vegetação alta, criando um parque/memorial. O quinto é a elevação do terreno à 3 metros de altura, uma zona com uso misto de comércio e onde situará o centro de desenvolvimento de pesquisa. Por fim, o sexto amortecedor é a elevação de 4,5 metros do terreno, onde será implantado jardins misturados com residências, além de fornecer estruturas e construções de escape como pontes para áreas mais altas da cidade.

Através desse projeto de proteção e resistência, está presente o aspecto da comunidade sustentável por desenvolver sua própria energia com um centro de distribuição CHP (gera eletricidade a partir da captura de calor), permitindo a eliminação do uso de energia nuclear. A área ecológica abordará os parques e jardins próximos à restaurantes e residências,onde produzirão seus próprios vegetais. O tratamento de água será reconstruído com a tecnologia MBR (Biorreator de Membrana), onde a água será filtrada através de micro-organismo.

Simultaneamente com a questão da infraestrutura está a relação fundamental entre o projeto e a sociedade que será fortemente incentivada à inovação, educação, artesanato, turismo, pesquisa e desenvolvimento de negócios. Enquanto o projeto for implantado, obterá um efeito secundário como a geração de empregos e dinamizar o fluxo econômico, como também a criação de espaços verdes, parques, jardins incentivando pontos de encontros, resultando em uma comunidade mais unida para proteger e conservar a cidade proposta.

ImageImage

 

Image

 

Salter Sink – bomba impulsionada pela força das ondas

Image

 

Para evitar a formação de supertempestades, como a que deu origem ao furacão Sandy, o professor da Universidade de Edimburgo (Escócia) Stephen Salter elaborou uma pesquisa na qual encontra nos pneus descartados de automóveis uma utilização benéfica contra o aumento da temperatura das águas do mar. Sua invenção recebeu o nome de “Salter Sink”, que consiste em um anel cujo tamanho pode variar de 10 a 100 metros de diâmetro formado por pneus conectados entre si preenchidos com um material flutuante, como o betão celular. As ondas (água quente superficial) passam para dentro do anel constantemente, o que faz com que essa água quente desça cada vez mais, até se encontrar com águas mais frias, misturando-se a elas e, assim, resfriando gradativamente a temperatura superficial, onde apenas 1°C pode fazer a diferença entre um furação categoria 4 e outro de categoria 5. 

Image

Image

As ondas, a uma temperatura de aproximadamente 26°C aumentam o nível da água no interior do anel, então, por gravidade, essa água quente acaba descendo, onde encontra águas a uma temperatura de aproximadamente 10°C. O grau de evaporação das águas superficiais diminui, evitando a formação de baixa pressão na atmosfera, diminuindo os ventos e as fortes tempestades. A distância entre os anéis deverão ser de mais ou menos 3km.

Image

 

            Equipados com um radar, os dispositivos não atrapalharão as embarcações, porém, ainda estudos devem ser realizados para se analisar como eles irão interagir com a vida animal e com os grandes ecossistemas, já que centenas deles seriam necessários somente para o Golfo do México. Podendo um Salter Sink sozinho produzir um giga watt de energia térmica, o pesquisador espera pela resposta do governo britânico, em conjunto com a comunidade científica, para que o programa, após ser analisado, possa ser viabilizado, amplamente desenvolvido e, talvez, implantado. 

Infraestruturas leves para a proteção de Nova York contra futuras tempestades

Image

 

Image

Após o furacão Sandy em Nova York, arquitetos em busca de soluções, obtiveram pesquisas e conclusões como o arquiteto Yarinsky ao dizer “Em vez de um muro entorno do litoral, que custaria milhões de dólares, propusemos uma infraestrutura ecológica que permite uma melhor integração com a água”, uma continuidade de terra e água seria o conceito desse projeto.

O objetivo com essa continuidade seria a criação de ilhas e pântanos ao longo do litoral fazendo com que absorvesse a força das tempestades e prever ruas com pavimentação porosa para evitar a inundação da cidade. Gás, energia elétrica, esgoto seriam transferidos para dutos à prova d’água debaixo da calçada. Estradas e edifícios seriam renovados para possuir mais vegetação e assim armazenar mais água pluvial.

Image

 

Image

 

Image

 

ImageImageImage

O período de implantação levaria em consideração a interdição de ruas, para tornar porosas além de mudar os dutos de infraestrutura da cidade para serem aprovas d’água e a renovação dos edifícios. Assim o projeto necessitaria de um longo tempo e grande investimento financeiro para se torna viável.

Proposta de malha para a proteção de Manhatan contra a elevação do nível do mar

Image

 

Image

 

O aquecimento global simultaneamente com a elevação do nível do mar, ameaça à ilha de Manhatan, com ênfase na cidade de Nova York que após o furacão Sandy se tornou área de estudo para a busca de soluções contra esse tipo de efeito natural. Incentivando arquitetos e estudantes como Tingwei Xu e Zhang Xie da Universidade da Pensilvânia, propondo a elaboração de uma malha com um sistema membranoso, envolvendo a base dos edifícios e possibilitando o fluxo de pessoas sobre essa grelha.

ImageImage

 

O material da malha é considerado eficaz por Xu e Xie, pois irá absorver e desviar a água para fora da superfície, como também permite a plantação de árvores e outras vegetações por sua porosidade.

Image

 

O projeto dos estudantes apesar da inviabilidade serve como pesquisa para os arquitetos já que o plástico é mais apto para acomodar as marés e desviá-las.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s