Plataforma Arquitectura – Daniel Cunha e Paulo Kehl


(http://www.plataformaarquitectura.cl/)

O Site

Plataforma Arquitectura é a versão hispano-americana do ArchDaily. Com base no Chile, é produzido por uma equipe de quatorze pessoas, incluindo os dois diretores/fundadores David Assael e David Basulto. A equipe conta principalmente com estudantes de arquitetura nos cargos de editores e colaboradores e é comandada por quatro arquitetos nos cargos de diretores, editor-chefe e editor de conteúdos.

Atualmente com uma média de 10 a 20 postagens por dia, o blog está na rede há quase sete anos. As postagens não seguem um critério muito rígido, variando do design de produto ao desenho urbano, passando por concursos, entrevistas e eventos dos mais diversos. Com o grande volume de postagens, o site consegue abranger as grandes e pequenas obras de arquitetos mais ou menos famosos.

Na página inicial vemos os artigos em destaque por número de acessos no canto superior direito, logo abaixo do logotipo estão as seções destacadas pela redação seguidas pelas postagens em ordem cronológica decrescente. Na coluna central estão o campo de busca (que funciona muito bem, por sinal), o campo de inscrição no newsletter por e-mail, as últimas postagens por seção, as avaliações de produtos e materiais e outras seções. Na coluna da direita ficam os anunciantes.


A seção mais diferente do blog é a Plataforma Emergente, onde são entrevistados os “jovens arquitetos com trajetória interessante”, segundo o próprio site. Ali, novos arquitetos têm a oportunidade de expor seu trabalho, atingindo um grande público em pouco tempo e sem passar pelo filtro editorial das grandes revistas. Esta seção é recente e até agora têm sido entrevistados apenas jovens arquitetos chilenos.


Outra função interessante do site é a possibilidade de criar um perfil online para marcar seus artigos e produtos preferidos e seguir suas discussões com a comunidade do blog. Essa função é interligada com o ArchDaily, portanto é possível marcar projetos das quatro versões do site: a internacional (archdaily.com, em inglês), a mexicana (archdaily.com.mx), a brasileira (archdaily.com.br) e a hispano-americana (plataformaarquitectura.com.cl).


Quanto a apresentação de projetos, o blog deixa um pouco a desejar. O conteúdo fotográfico é geralmente extenso, mas muitas vezes todo ele pode ser encontrado no site do arquiteto. Os desenhos são escassos e geralmente em péssima resolução, o que atrapalha a plena compreensão dos projetos.

Galaxy Soho / Zaha Hadid Architects


Área: 332857.0 metros

Ano: 2012

Arquiteto: Zaha Hadid & Patrik Schumacher

O Galaxy SOHO localizado no centro de Beijing é uma obra de 330000 m² composta por um programa misto que inclui salas de escritório, lojas e principalmente entretenimento. Este imenso complexo espera integrar rapidamente com seu entorno urbano. É composto por cinco volumes separados que se conectam através de passarelas, gerando uma óptica panorâmica totalmente fluida.



O interior reflete traços da arquitetura tradicional chinesa, na qual os pátios criam espaços interiores. Neste projeto, a arquitetura não está composta por blocos rígidos e sim por volumes que geram fluidez e movimento entre cada um. Plataformas que variam para gerar diferentes sensações de dimensões. À medida que os usuários entram no edifício, descobrem os espaços íntimos que seguem a mesma coerência formal da continuidade curvilínea.

        

Os três níveis mais baixos do Galaxy SOHO são espaços públicos para lojas, serviços e entretenimento. Os níveis superiores integram espaços de escritório. Os andares acima contêm bares, restaurantes e cafés que oferecem as melhores vistas para a cidade. Estas diferentes funcionalidades estão interconectadas através de espaços interiores que estão sempre se relacionando com a cidade, ajudando a estabelecer o Galaxy SOHO como um importante ponto para Beijing.




Busan Opera House / Snøhetta


Arquiteto: Snøhetta

Localização: Coreia do Sul

Fotografias: Cortesia do Snøhetta

Snøhetta foi recentemente selecionado como o ganhador do concurso de Busan Opera House na Coreia do Sul com seu conceito “desempacotando a caixa”. Sua proposta não é concebida como música, mas como um instrumento que podemos tocar. Este instrumento não é um cubo branco e também não é um quadro negro vazio e carente de expressão. Este edifício expressa os valores e o espírito do lugar.


A Busan Opera House já não é um lugar para ver e ser visto e sim um lugar para se reunir. Um lugar de encontro para unir o contexto cultural comum do país. Um lugar para estar sozinho ou para um se reunir com amigos e familiares.


A Opera está situada no ponto de onde a montanha se encontra com o mar e a fachada é voltada para o horizonte. As quarto esquinas do edifício conectam a cidade a um espaço de interesse cultural.



Os acessos estão vinculados em um espaço público contínuo, que flui ao redor da Opera ligando o espaço interno com a área externa do complexo.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s