Contemporist

Por  Juliana Aragão e Deborah Gofert

Segundo o próprio site, Contemporist é uma celebração da cultura contemporânea, focada em arquitetura, design, arte e viagem. Alteraram o modo de profissionais na área do design industrial obter notícias e novidades. Suas publicações são estritamente online, e alegam ser pioneiros em pesquisas relacionadas a novos produtos e projetos por designers ao redor do mundo. Sua plataforma de publicação se estende pelo blog, Facebook, Twitter e feeds.

O site não disponibiliza informações sobre sua criação e história, apenas um breve link para mandar e-mails, anunciar propagandas e mandar trabalhos e resenhas para publicar no site. A única informação sobre o site é repetida em todos os sites, e seu único idioma é o inglês.

Estrutura do Site
No inicio da página, há uma faixa de anúncios diversos, não necessariamente sobre arquitetura. Ao lado, uma caixa para seguir as noticias do blog em diferentes sites e redes sociais. Há pouca propaganda, e estas se localizam do lado direito da página, em pequena escala, não comprometendo o espaço para as publicações. Na parte inferior da página, há uma faixa com as poucas informações sobre o site, link para contatos, pesquisa no blog, links para seguir em redes sociais e mandar trabalhos e resenhas.

contemp 1
contemp 2

As matérias são expostas de forma sucessiva, com o nome do projeto, data de publicação, uma breve descrição do autor, localização da obra e uma imagem. Abaixo da foto, um link direciona para a matéria completa, onde há um texto descritivo da obra, e um memorial dos autores, com imagens, desenhos técnicos e textos explicativos.

contemp 3
contemp 4

Essas matérias são divididas em temas: Arquitetura, com projetos variados, de diferentes estilos, dentro da contemporaneidade. Em Design, objetos funcionais e móveis. Em Arte, nota-se que as obras são basicamente esculturas, e em Viagem, projetos de hotéis em diferentes partes do mundo.
Na página principal, essas matérias estão misturadas. Em uma barra superior, esses assuntos estão divididos em tópicos, filtrando as matérias por tipo. As postagens são feitas praticamente diariamente.

Pontos Positivos:

– Aparência limpa, leve, não carregada, o que o torna sofisticado.
– Pouca propaganda
– Textos bem explicativos
– Fotos com ótimos resolução e ângulos
– Desenhos técnicos na maioria dos projetos
– Matérias distribuídas em diferentes sites
– Projetos ao redor do mundo, sem concentração de localização
– Bem organizado e estruturado
– Atualizado frequentemente
– Layout

Pontos Negativos:
– Alguns projetos são muito parecidos
– Ausência de imagem humana nas fotos
– Linguagem somente em inglês
– Não possui matérias escritas, de reflexão. São textos imparciais sobre os projetos
– Não há muita diversidade na escolha dos projetos – foco em obras privados
– Algumas plantas sem norte e sem escala
– Imagens sem fonte
– Textos copiados do site do escritório

imagem 5imagem 6

Mediterrani 32

Daniel Isern

Ano do projeto: 2012

Localização: Sant Pol de Mar, Espanha

Fotografia: Adriá Goula

Screen shot 2013-05-28 at 10.49.26 PM

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O contemporist fornece um texto escrito pelo próprio arquiteto, em que ele cita Claude Montet explicando que, para ele, uma paisagem não existe por si só, uma vez que sua aparência muda a cada momento, que o que a traz a vida são a luz e o ar que variam continuamente.

O projeto desta residência envolveu construir em um terreno íngrime (a inclinação é de quase 100%) cercado por pinheiros com um orçamento apertado e uma vista maravilhosa. Outro aspecto importante para Isern durante o projeto foi a terra e as suas perspectivas em constante mutação, as mudanças com o passar das horas, a cor das árvores, o movimento do sol e as sombras produzidas.
Todos os fatores citados a cima levarem Isern a fazer uma planta que combinou as árvores existentes no local e emergiu de um tronco bem ancorado a terra, de modo que a casa abre-se em ramos a cada andar, e cada ramo vira o terraço do andar superior e o pórtico do inferior.
Assim, o edifício formado é muito formal. Há vigas enormes para vencer os vãos que se abrem para a floresta e o oceano que se encontram ao redor da casa, confundindo o exterior com o interior.
A residência é composta de concreto, ferro, madeira e pedra, combinado de maneira e enfatizar o caráter de cada um.

Screen shot 2013-05-28 at 10.50.05 PM
Screen shot 2013-05-28 at 10.50.11 PM
Screen shot 2013-05-28 at 10.50.20 PM

Screen shot 2013-05-28 at 10.50.30 PM

  Planta Pavto. 1

Screen shot 2013-05-28 at 10.50.40 PM

Planta Pavto. 2

Screen shot 2013-05-28 at 10.51.20 PM

Planta Pavto. 3

Screen shot 2013-05-28 at 10.51.28 PM

Planta Pavto. 4

Screen shot 2013-05-28 at 10.51.35 PM

Corte Transveral

Screen shot 2013-05-28 at 10.51.42 PM

Corte Longitudinal

A casa parece integrar-se muito bem a paisagem apesar de sua aparência industrial. Sua grande transparência revela um espaço muito luminoso e brilhante. Apesar de possuir 4 pavimentos, a casa acontece majoritariamente no 2o e no 3o – no primeiro, há apenas um pequeno estar, uma mesa e a circulação vertical, presente em todos os andares. O segundo andar é uma grande suíte. A cozinha, um lavabo e a sala de estar se localizam no 3o pavimento, e o 4o é apenas uma varanda. Todos os pavimentos possuem varandas, alternando o lado de um andar para o outro. De forma geral, há um grande uso de portas de correr de vidro, o que ajuda a trazer o exterior para dentro da casa.

Villa V

Paul de Ruiter

Ficha Técnica:
Localização: Bloemendaal, Holanda
Áre construída: 489m2
Ano do projeto: 2011
Fotografia: Tim Van de Velde
Engenheiro estrutural: Quinten R. Wildeboer
Design de interior: i29 interior architects

Screen shot 2013-05-28 at 11.04.55 PM

Segundo o arquiteto, Paul de Ruiter, desde o começo do projeto ficou claro que o terreno e a paisagem ao redor deveria ser preservada ao máximo. Uma base foi criada para a casa, e o piso térreo está semi posicionado na barreira do terreno. O primeiro andar se posiciona acima do piso térreo, que é parcialmente envidraçado, e sobre a parte superior do terreno.

Screen shot 2013-05-28 at 11.05.04 PM

vila 3

Ambas as fachadas Sul e Norte do primeiro andar são feitas de vidro, enquanto as fachadas Leste e Oeste possuem um caráter fechado. Essas áreas fechadas são feitas de madeira sustentável. As áreas envidraçadas em ambos os pavimentos contém componentes deslizantes excepcionalmente grandes, que atuam como grandes portas e janelas. Os detalhes de marcenaria e caixilharia foram reduzidos ao mínimo, fazendo com que as grandes fachadas de vidro possuam uma conexão entre o interior e o exterior, experimentando o um contato tangível da casa com a natureza. As aberturas, tanto no pavimento superior, quanto na própria configuração do terreno fornecem máxima insolação em todos os quartos.
Um fator importante da Villa V é a atenção dada a energia. Uma estrutura eficiente e compacta foi projetada com ótima insolação. Toda a energia disponível é usada – há um sistema de armazenamento geotérmico da energia, uma bomba de calor e placas solares no telhado.
Grande parte do material utilizado pode ser considerado ecologicamente correto, como os revestimentos do primeiro andar (foi usado uma cera de madeira especial), os caixilhos (feitos de carvalho francês) e elementos no interior (foi usado madeira compensada folheada). Isso é o que o arquiteto afirma, porém a única madeira de reciclagem é a usada na entrada e na garagem, cuja origem é um antigo navio achado em uma companhia de demolição em Brabante do Norte, uma cidade na Holanda.

Screen shot 2013-05-28 at 11.05.11 PM
Planta Subsolo

Screen shot 2013-05-28 at 11.05.20 PM

Planta Pavto. Térreo

Screen shot 2013-05-28 at 11.05.25 PM
Planta Primeiro Pavimento

Screen shot 2013-05-28 at 11.05.32 PM
Corte Longitudinal

De acordo com os desenhos a cima, é possível observar que há uma garagem no subsolo, com alguns depósitos. O pavimento térreo é reservado para a cozinha, sala de jantar e uma sala de estar com apenas uma mesa circular. O segundo pavimento não tem o seu uso muito definido, com apenas a suíte principal, uma lareira central e um banheiro indicados, porém pode-se entender como espaço para mais 3 quartos e uma sala de estar com sofá. Pode-se perceber que a circulação vertical é toda feita por uma única caixa e que sua lateral a acompanha com um pé direito duplo e que parte do 1o pavimento está em balanço, fornecendo uma cobertura para a parte externa no térreo.

Screen shot 2013-05-28 at 11.05.40 PM

Screen shot 2013-05-28 at 11.05.47 PM

Estação de Metrô Rei Abdullah

Zaha Hadid

Ficha técnica:
Localização: Riyadh, na Arábia Saudita.
Área: 20.434 m²
Níveis: 4 superiores e 2 no subsolo

Com mais de 5 milhões de habitantes, a população da cidade de Riyadh ultrapassou o dobro, desde 1990. Para conter a grande concentração populacional, a prefeitura vai construir um novo sistema de transporte público, cujo projeto é retratado a seguir.

Screen shot 2013-05-28 at 11.12.35 PM

Essa nova estação, da linha 6, servirá como ligação entre as linhas já existentes, Linhas 1 e 4 (para passageiros destinados ao aeroporto). O monotrilho pode também ser acessado pela estação por uma ponte. Há 6 plataformas, 4 pavimentos públicos e dois níveis de estacionamento no subsolo. O metrô estará integrado ao contexto urbano de acordo com o distrito financeiro, respondendo à demanda funcional de um centro de transporte de várias modalidades.

Screen shot 2013-05-28 at 11.12.44 PM

O projeto se estende além da simples tipologia de estação de metrô, enfatizando a importância da edificação como um espaço público dinâmico e multifuncional; não apenas um espaço intermediário de apenas rápida transição da população, mas sim um espaço público com certa dramaticidade para a cidade.

Screen shot 2013-05-28 at 11.12.52 PM

O design do edifício localiza a estação no centro de uma rede de caminhos, pontes e outras linhas visadas no plano de massas do projeto. Diagramas conectivos e de tráfego através do local foram mapeadas e estruturadas para delinear rotas de pedestres para a estação, otimizando circulação interna e evitando congestionamento. A configuração resulta numa trama tridimensional, definida por uma sequencia de fluxo de pedestres, a partir da repetição e variação da frequência diária fluida pelo tráfego, que atua como a coluna de circulação do edifício.

Screen shot 2013-05-28 at 11.13.02 PM

Screen shot 2013-05-28 at 11.13.09 PM

O padrão da fachada reduz a insolação, enquanto sua geometria perfurada contextualiza a estação com seu ambiente cultural. A composição se assemelha a generalidade de um deserto, com seus ventos e dunas de areia, onde múltiplas frequências e repetições geram um complexo conjunto de formas naturais.

Screen shot 2013-05-28 at 11.13.15 PM

Os três projetos são muito distintos entre si. O projeto da Zaha Hadid foi escolhido por ser um dos únicos espaços públicos no blog. A residência Mediterrani 32 apresenta características diferentes, que foram elaboradas especialmente para este projeto, enquanto a Vila V possui uma apresentação mais comum nos dias de hoje, que traz ao leitor a sensação de “já te vi”, porque muitos projetos atualmente têm uma aparência muito semelhante. De forma geral, gostamos muito dos 3 projetos aqui retratados.

Inhabitat

Luiza Conde e Roberta Tiemi

001

O blog Inhabitat foi fundado pela arquiteta e LEED-AP green designer Jill Fehrenbacher e foi lançado no ar em 2005. Jill Fehrenbacher é formada pela Brown University, St. Martin’s College e também, pela Colombia University. Tem especializações em design sustentável, “design verde”, design de iluminação e design interativo. Ao lançar o blog, Jill Fehrenbacher tinha a esperança de melhorar o mundo através do pensamento sustentável que o seu blog traria aos seus leitores.

O blog foi fundado com o intuito de investigar o futuro do design buscando inovações tecnológicas e novos materiais no mercado que fazem com que a arquitetura e o design sejam voltados para a sustentabilidade. Ele também busca investigar novos produtos, design de interiores e o design arquitetônico. Com isso ela criou o blog Inhabitat e determinou que seu lema seria “design will save the world” – ou seja, o “design salvará o mundo”.

002

Os principais temas abordados são: inovações tecnológicas, construções sustentáveis, energia eficiente no design de interiores, novas fontes de energia sustentável e produtos sustentáveis de design.

O corpo do site é simples e não contém informação excessiva que poderia complicar ou distrair a visualização do leitor do blog. Outro fator positivo do blog é que é fácil achar informações nele por ele ser tão simples.

Abaixo está uma foto editada de como é o corpo do blog. Essa imagem foi posta para mostrar as informações que são fixas na página inicial do blog Inhabitat:

003

No topo estão os seguintes tópicos:

  • Arquitetura;
  • Interiores;
  • Produtos;
  • Tecnologia;
  • Energia;
  • Meios de transporte;
  • Moda;
  • Arte;
  • Crianças;
  • Concursos.

No canto esquerdo superior encontramos o nome e o lema do blog. À esquerda tem uma faixa verde.

No canto direito em laranja, está um ícone onde as pessoas podem postar propaganda no Inhabitat. Abaixo desse ícone, encontramos um local onde você pode se inscrever para receber um boletim informativo do blog. Em seguida, encontramos os ícones das redes sociais que é uma indicação que as pessoas podem seguir o Blog Inhabitat por essas redes sociais. E finalmente, abaixo disso está uma propaganda – a mesma que vemos no topo do site do lado do nome do blog – da Boston Architectural College. Quando a propaganda do canto direito é alterada – isso ocorre quando o visitante clica em um tópico e passa a ser redirecionado à uma nova página – a mesma que se encontra no topo do blog também passa a ser alterada.

Ao clicar no tópico de cada site, o visitante do blog é redirecionado à uma página nova. Abaixo pode-se ver como é a página que o visitante é redirecionado:

Ao clicar em cada um dos tópicos – arquitetura, interiores, produtos, tecnologia, meios de transporte, arte e concursos – o visitante do blog é redirecionado à uma página do mesmo blog que mostra cada um dos artigos sobre aquele mesmo tópico como pode-se ver no exemplo abaixo:

  • Arquitetura:

004

Entretanto, ao clicar no tópico “Moda” ou “Criancas”, o leitor é direcionado à um novo site/blog como podemos ver em cada um dos exemplos abaixo:

  • Moda:

005

Somos redirecionados a um outro blog que se chama Ecouterre. Esse site é voltado aos tópicos a seguir: moda sustentável, ao design sustentável e à uma vida sustentável. Aqui podemos encontrar textos sobre cada um desses tópicos citados acima.

  • Crianças:

006

No caso do tópico “crianças” do site Inhabitat, somos redirecionados ao blog Inhabitots que é da mesma fundadora do blog Inhabitat, a Jill Fehrenbacher. Esse site é voltado à mães e mostra como é possível continuar levando uma vida sustentável mesmo tendo filhos. Ele aborda temas como: móveis, decoração, roupas, alimentação, dormir, brincar, roupas, saúde, aparelhos e educação. Em cada um de seus temas, existem artigos sobre produtos ou meios sustentáveis.

Projetos Apresentados:

titulo 1

Este projeto é sobre o novo campus do Seattle Amazon, que fica perto do South Lake Union e de um núcleo comercial. O plano prevê três torres, nas extremidades, de 37 andares, completados por menores volumes, espaços abertos, parques, instalações de arte e telhado verde.

Originalmente, no centro do campus era um parque público e um volume retangular baixo com telhado verde.

A NBBJ, construtora responsável pelas mudanças no campus, está mudando este conceito, através da ideia de inserir três biosferas no lugas do antigo parque público.

A maior biosfera, a central, será com 130 metros de diâmetro e, as outras duas biosferas laterais, com 80 pés de diâmetro. Em seu interior haverá uma variação de locais de trabalho, salas de jantar salas de reunião, salões, espaços públicos e zonas botânicas, as quais terão árvores maduras de climas quentes, plantas de diferentes espécies.

A estrutura seria de ferro e vidro, a qual seria preenchida com ar fresco e luz natural, o uso de luz artificial seria somente por luz de led, já que a intenção da NBBJ é de obter a certificação de LEED Gold, o que ajudará a diminuir o consumo de energia. A posição das esferas também foi pensada para que a sombra dentro e fora delas não fosse prejudicial aos meios.

O projeto proposto esta para ser finalizado em 2016 e antes de ser aceito pelo Conselho Municipal foi criticado, mas, foi considerado melhor do que o projeto atual.

001 a

001

002

003

004 005 006 007 008 009 010 011

012

titulo 2

O College of Desert é uma faculdade comunitária com cerca de 3.400 alunos de período integral, que está localizado no Vale do Coachella, Califórnia. O grande foco da reforma da escola será a produção de energia renovável, que contará, também, com a ampliação da escola para que exista novos laboratórios, painéis solares e turbinas eólicas. Novas abordagens sustentáveis e inovadoras serão adotadas no vale do Campus.

O plano enfatiza a produção de energia juntamente com a conservação substancial e eficiência energética, aproveitando os resíduos em parceria com empresas verdes. O colégio também vai criar um modelo nacional de pesquisa sustentável e ensino que sustente a economia local e a necessidades educacionais de Coachella.

Para suprir as necessidades de energia da escola haverá uma parceria com uma fazenda local para, que assim, a escola possua 60 hectares de produção de energia. No centro do campus haverá um tanque artificial que recolherá a água da chuva e irá conduzi-la para um tanque de retenção, onde será armazenada e usada para a irrigação das áreas da escola. Painéis de metal perfurados serão utilizados nas fachadas dos novos edifícios para que haja ventilação natural. Outros detalhes do prédio sustentável será o ganho de calor das fachadas, que será diminuído, sombreamento, técnicas de iluminação natural, sistemas mecânicos eficientes energeticamente e paisagismo nativo.

001

002

003

004 005 006

titulo 3

O estádio Governador Magalhães Pinto, ou Mineirão, sofreu uma reforma onde recebeu painel solar no telhado.

O estádio terá um painel solar de 2,5 MWp que fornecerá energia solar suficiente para alimentar cerca de metade do estádio.

A obra foi financiada pelo banco alemão KfW e CEMIG, que disponibilizaram 16.100 mil dólares. A arena de esportes funciona através de energia renovável, e a energia gerada por ele não será usada no estádio e, sim, na vizinhança ao redor do estádio.

Outros estádios do Brasil também estão sendo equipados com painéis solares, como: Maracanã, no Rio de Janeiro e o Estádio do Pernambuco, que será equipado com aquecimento solar nas cozinhas, banheiros e vestiários.

001

Website: Fast Co.DESIGN

Fast Co.DESIGN Website:

FastcoDesign é um site que faz parte da FastCompany que é uma revista mensal americana de negócios totalmente colorida. São 10 edições anuais que trazem reportagens e tópicos sobre temas como inovação, mídia digital, tecnologia, liderança, gestão de mudanças, design e responsabilidade social. Foi lançada em novembro de 1995.

Para os que não conheciam o site, é uma grande surpresa. Para quem pensava que era algo relacionado puramente com arquitetura, está muito enganado. Longe disso. Arquitetura aparece brevemente em seus artigos. É um site destinado a falar de tudo um pouco, desde que se tenha alguma relação com design.

Como está no próprio site eles cobrem as últimas notícias sobre novos produtos, empreendimentos comerciais e ideias selvagens. Da mesma forma, que apresentam ideias controversas e publicam ensaios de alguns dos principais designers da atualidade. Tudo isso com a intenção de iniciar novas conversas e inspirar novas fantasias.

Apresentado e entendido o conceito do site, podemos iniciar sua análise.

Por tratar de diversos assuntos quando acessamos sua página inicial ficamos um pouco perdidos, pois podemos encontrar matérias sobre vídeo game, comida, supermercados, artes, arquitetura, mantas, cerveja, impressora 3D e por aí vai. Esses assuntos são apenas alguns que surgiram para exemplificar as matérias mais recentes. Poderíamos montar uma lista infinita com assuntos desse blog dada sua incrível diversidade.

Para quem trabalha com design deve ser bastante interessante, mas de qualquer forma deveria ter algum critério para separar as matérias ou para escolher os temas publicados. É difícil alguém se aprofundar em tantos assuntos. Talvez seja por esse motivo que os artigos são breves.

A única coisa que funciona bem nesse site é seu ícone de busca. Mas, mesmo assim, surge uma vasta gama de itens. Ou seja, se você procura algo muito específico, esqueça. Mas se você é fascinado por design esse pode ser um site para ser visitado.

Layout e funcionamento:     

A página inicial do site é um pouco bagunçada, existe o link de acesso para os outros três sites: Co.EXIST, Co.CREATE, Co.LABS. Na verdade são sites diferentes que carregam informações sobre de áreas distintas, mas são muito próximos um do outro.

fastcodesign01

Voltando a focar no Co.DESING, mas lembrando que os outros seguem o mesmo padrão, a primeira vista do site te fornece uma imagem sobre alguma matéria que toma praticamente a tela inteira do seu computador ou laptop, te deixando confuso sobre a intenção do site, após o primeiro scrol para baixo, o site começa a metralhar o visitante de informações de forma que esse fica meio perdido. Como antes dito, não existe um padrão ou organização quanto ao assunto da matéria, elas são aleatórias em todos os aspectos (você pode estar lendo sobre aplicativos para tablets e logo depois sobre documentário sobre a pornografia na internet).

fastcodesign02

Apesar dessa confusão na organização as cores não são agressivas, oque não o torna visualmente exaustivo. A quantidade de propagandas que acaba poluindo o site, é relativamente pequena e são bem espalhadas, até camufladas entre as matérias, oque pode te fazer clicar sem querer em uma delas.

Todo os sites possuem um frame principal que é esse central onde se localizam as matérias e à direita um frame secundário, onde estão outras publicações e propagandas. Esse frame secundário em muitos websites acaba desaparecendo conforme a página vai descendo, causando o visitante a acessar outras páginas, que é na verdade nada mais nada menos que uma forma de garantir mais acessos ao site que resulta em mais dinheiro. E é algo cansativo, clicar em um link, ir pra outra página, esperar carregar, e por aí vai. Nesse site, conforme você chega próximo do que seria uma segunda página, ele divide a página com uma faixa preta, e é claro, uma propaganda, e já emenda uma segunda página na sequência, com outro frame principal e outro frame secundário, de forma que você acaba tendo duas faixas de publicações e espaço publicitário diferentes na mesma página sem ter que acessar outro link.

fastcodesign03

Acesso das matérias:

Ao acessar a matéria, oque na página inicial dava lugar a uma imagem gigante, agora torna-se uma imagem da matéria, necessitando o scrol para chegar ás informações. O assunto selecionado é dado com uma série de informações com um texto e imagens inseridas em meio ao mesmo, sem um padrão ou sequência. São sempre acompanhados de imagens muito bem representadas, as chamadas imagens matadoras, mas para o público de arquitetos, deixa a desejar em informações como plantas, cortes e elevações.

Matérias analisadas

Great Architecture, On The Cheap

THE AIA CELEBRATES THE YEAR’S BEST SMALL PROJECTS, WHICH PACK BIG IDEAS INTO VERY SMALL SPACES.

O instituto americano dos arquitetos AIA premia projetos que são realizados com poucos recursos, o Small Project Awards.

Esse ano 10 projetos foram selecionados, mas o site faz uma seleção desses 10 para apresentar os que são os “preferidos” deles. Não sabemos se não citam todos por uma questão ética para não desmerecer ninguém , mas o caso é eles realmente só falam dos que foram “eleitos por eles”. Eles apresentam, então, 5 projetos : uma ponte, um studio feito em madeira, uma casa para cachorro ( curiosa, essa escolha, nao?!) , um pavilhão e um “welcome center”.

Memorial Bridge in Bozeman, MT, by Intrinsik Architecture:

fastcodesign04Pup tent by Slade Architecture

fastcodesign05

A forma como os projetos são apresentados é muito fraca. Um breve texto , de 3 linhas no máximo , o valor do projeto e uma foto.

O studio de madeira que seria um projeto interessantíssimo é apresentado assim:

fastcodesign06

Créditos : FastCo.Design

“Um estúdio de 45 m2 quadrados, em Nova York, por Jordan Parnass Architecture Digital. Dado o pequeno espaço, o arquiteto decidiu fundir a cozinha, banheiro, mezanino, e um novo closet em um único “core serviço” compensado – deixando, assim, o resto do espaço o mais aberto possível. Todo o projeto custou US $ 100,000 “.

Vale observar que no texto estava 500 square foot, mas nós mudamos para metros quadrados. Acredito que ai já tenha algum equívoco de digitação pois 45 metros é espaço suficiente para um bom apartamento de um dormitório.

Ou seja informações imprecisas e vagas, Se tivéssemos uma planta poderíamos analisá-la melhor e descobrir as reais dimensões desse studio.

Assim como vimos nas revistas esse é mais daqueles que se munem de imagens para “enganar” o leitor.

“A Micro Loft Designed For Maximum Impact”

NEW YORK ARCHITECTS DEMONSTRATE JUST HOW GOOD MICRO-LIVING CAN BE WITH THEIR SURPRISINGLY SPACIOUS MANHATTAN MICRO LOFT.

fastcodesign07

Depois de analisar o artigo, pode-se dizer que está bem explicado a partir da intenção e da filosofia do próprio site. Esta seção do site, Co-Desing é definida como: business + inovação + design; eles tentam dar uma visão aproximada do projeto. Ele é destinado a pessoas no mundo do design e dizer com a intenção de dar pequenas informações introdutórias para situar o leitor e dar uma primeira abordagem.

Ele é escrito em uma linguagem simples e mais abrangente, a fim de atingir a maior quantidade de público possível. Como se define é uma plataforma para compartilhar ideias.

O artigo está estruturado de forma a orientar o leitor: o primeiro nome, a intenção do projeto, em seguida, situa o arquiteto neste tipo de microprojetos, faz uma referência histórica de como a arquitetura evoluiu para enfrentar estes novos espaços, o que a sociedade precisa nessas cidades muito densas, que prioriza o espaço econômico e ergonômico para habitação a preços acessíveis para todos.

Uma vez que o item é colocado no contexto, explica superficialmente os segredos para obter um Micro-loft. Onde as intervenções do projeto são desenvolver e explicar o propósito destes, sempre auxiliado por várias fotografias do projeto, que ajudam a situar o leitor que na maioria das vezes, não é um arquiteto e sim um designer.

Neste caso, temos uma má informação gráfica, mas importante para um arquiteto para entender o projeto é composto por dois pisos e uma seção. Mas esta muito mal localizado e de difícil acesso.

Destaque a intenção de mostrar fotos do apartamento antes da intervenção, que ajuda a entender essa nova microarquitetura de espaços.

Do ponto de vista de um arquiteto: o artigo é incompleto por não falar a língua principal de arquitetos: plantas, cortes e elevações.

fastcodesign08 fastcodesign09

Z:Somerville - Newplans and section A-000 (1)

fastcodesign11

Comparação e análise dos dois itens selecionados:

THE AIA CELEBRATES THE YEAR’S BEST SMALL PROJECTS, WHICH PACK BIG IDEAS INTO VERY SMALL SPACES.

A MICRO LOFT DESIGNED FOR MAXIMUM IMPACT.

Neste caso, comparar dois itens de interesse arquitetônico, podemos ver que no primeiro artigo analisado, está relatando uma situação, mas não especifica a sua informação, tem uma única intenção de mostrar como um artigo de publicidade, que não faz nenhuma pretensão mais a ser nomeada. Pode ser descrita como publicidade arquitetônica, vagamente ilustrativa.

Em contraste, no segundo artigo, é estruturado e de fácil acesso ao público em geral. A intenção de colocar o projeto em planta e corte demonstra a preocupação com o público de arquitetos, mas faltam especificações para atrair mais esse público.

Comparação: Co.Desing  e no site do projeto:

Em primeiro lugar, vemos como o projeto está em um contexto histórico e porque eles estão em necessidade desses novos espaços, em seguida, um contexto muito genérico. Assim, entendemos que este pensamento está aí apenas para situar o leitor dos principais desenvolvimentos atuais.

No segundo, vemos a explicação técnica do projeto, colocando todas as informações sobre o projeto, quais foram as ideias e como eles resolveram. Fotografias sempre ajudam e planos de projeto.

website do arquiteto: http://www.spechtharpman.com/residential/west_73rd_street_residence.php

Escrito por: Cláudio Marini Mello, Enrique Perez e Maria Cecília Levy.

Archdaily Brasil

ImageO site Archdaily Brasil nasceu em Março de 2008, com o objetivo de passar informações completas para os arquitetos ao redor do mundo, desde projetos, produtos, eventos, entrevistas, entre outras coisas.

De acordo com ele a equipe editorial trabalha conjuntamente com muitos escritórios influentes do mundo todo levando um conteúdo de qualidade e específico para o público de arquitetos , designers, consumidores e formadores de opinião. Essa equipe é formada por:

  • David Basulto, Arquiteto – Editor Executivo
  • David Assael, Mestre em Desenvolvimento Urbano – Diretor
  • Giovana Fernandes, Arquiteta Urbanista – Editora
  • Joanna Helm, Arquiteta Urbanista, Mestre em Gestão e Desenvolvimento Habiltacional – Editora
  • Igor Fracalossi, Arquiteto Urbanista, Mestre e Doutorando em História e Crítica da Arquitetura – Editor
  • Fernanda Britto, Estudante de Arquitetura e Urbanismo –Colaboradora
  • Thiago Braga, Jornalista, Filósofo, especialista em língua espanhola – Colaborador

Image

Image

A página:

As matérias do site podem ser separadas por país, tipo ou procedimento, a lista para organização dos projetos por local ou tema encontra-se do lado direito um pouco bara baixo. Isso facilita a pesquisa de projetos.

Na página inicial além da separação dos projetos, encontramos os patrocinadores ao lado direito em cima,  e os concursos em destaque, entrevistas e eventos. Nessa pagina também encontramos as fotos publicadas no aplicativo Instagran e Flickr e os tuwiters.É possível receber notícias do site digitando o email no campo para receber os newletter.

Na barra de cima podemos selecionar qual o tipo de matéria que mais nos enteressa  ver, notícias, artigos,concursos, eventos,entrevistas ,projetos, clássicos  e produtos, é importante ressaltar que só encontramos projetos completos, com plantas cortes e imagens na parte de projetos.Na parte de baixo do site encontramos os projetos divididos em, projetos recentes, Projeto mais vistos, e notícias recentes.

Ao abrirmos o projeto percebemos ao lado da foto uma parte que contém algumas propagandas.

A apresentação dos projetos:

 Image

               A apresentação dos projetos no ArchDaly sempre começam com títulos bem compridos, no caso desse post “É concluído em Hamburgo o primeiro edifício do mundo alimentado energeticamente por algas.”, como podemos ver não é um título rápido, ele é praticamente um resumo da notícia.

Depois encontramos uma imagem e ai começamos a ler sobre o edifício. Esse edifício possui uma tecnologia de uma “fachada com algas bio-adaptativa”, ou seja, tem como objetivo a autossuficiência energética do prédio a partir da produção sustentável de energia através da fachada.

Foram responsáveis pelo projeto a empresa design Arup, SSC Strategic Science Consultants e Splitterwerk Architects. De acordo com a design Arup a arquitetura passará por muitos avanços tecnológicos, possibilitando a criação de edifícios que se adaptam as condições ambientais a sua volta. Um exemplo de avanço são as pinturas fotovoltaicas além de novas tecnologias de manutenção, que estarão disponíveis em um futuro muito próximo.

              A fachada funciona como um organismo vivo, reagindo ao local, meio ambiente e pessoas a sua volta. Ao receber luz solar as algas crescem rapidamente, cobrindo a fachada e fazendo sombra no interior do prédio, as algas também são responsáveis pela fotossíntese que gera energia limpa e renovável para utilização do edifício. Além disso estão presentes nesse mecanismo “bio-reatores”  que absorven o calor  solar, sendo outra fonte de energia sustentável para o prédio.

ImageImage

Projeto: Estação Antartica Comandante Ferraz 

 Image

 Image

Image

Este projeto foi pensado para o conforto e funcionalidade, e fácil montagem. Com peças pré-moldadas modulares, e uma topografia quase sem desnível a estrutura se alicerça de maneira solida assim mesmo que haja mudança no gelo (desgelo e variações de temperatura) o edifício permanecera intacto.

Os matérias utilizados atendem as necessidades do alto desempenho ambiental, evitando a perda de calor pelas paredes e envoltórias, e também pela utilização inteligente do espaço por meio da automação e da utilização sazonal, este sistema tem fechamento automático de algumas aberturas e ambientes durante o inverno.

Os setores funcionais estão organizados em blocos que distribuem os usos, assim o bloco superior, abriga os quartos, áreas de serviço e o jantar/estar e no bloco inferior estão laboratórios e as áreas de operação e manutenção.

A edificação faz a reutilização e tratamento de agua, e se mantem funcionando por meio de energia fotovoltaicas, eólica (VAWT) e também proveniente da queima de etanol.

Projeto interessante, o Archdaily Brasil mostra que não se prende a padrões de projetos ou ideias, e está sempre inusitado, apresentando ao público mostras de edificações no mundo e no brasil todo.

Este projeto pela Estúdio 41, foi ganhador do concurso internacional para a construção desta edificação na Antártica. Como meio de passar a informação ao leitor, a imaginação e a forma quase didática do texto se exaltam, utilizando até mesmo explicações por cota dentro do texto junto com as imagens, para um maior entendimento.

ImageImageImageImage

Este projeto foi pensado para o conforto e funcionabilidade, e facil montagem. Com peças pre

Em geral uma ótima apresentação dos fatos, entendimento e explicações das estruturas, materiais e do sistema de conforto térmico.

O projeto está localizado na Península Keller Baia do Almirantado, Antarctica. Tem como fatores de destaque a Automação, gestão de agua e energia, calefação por ambiente inteligente e o sistema de co-geração.

Image

Projeto:Villa Ronde / Ciel Rouge

 Image

Image

                     O formato redondo e orgânico dando uma bela vista do contexto do local, e este formato também favorece a estrutura (pois não tem arestas) que deve resistir aos fortes ventos do local.  A circulação do ar natural é devido aos vãos livres que permanentemente ventilam a casa. A utilização do teto-verde é para diminuir a bruta variação térmica. As aberturas da casa foram pensadas para a vista de pontos específicos da paisagem.

A Villa Ronde tem 1800M², foi projetada e foi realizada por Ciel Rouge Creation e Henri Gyeundan Architects.

                    A exemplo da diversidade de estilos, este projeto em forma orgânica como o texto diz abriga uma residência, um museu privado, uma casa de hóspedes e nada mais que um Resort particular. Muitas fotos, de bons ângulos, porem algumas delas com péssima qualidade e outras em resoluções altas.

ImageImage

ImageImage

 Image

Todos os projetos vistos, com excelentes apresentações, com plantas cortes e elevações. Escritores com boa base argumentativa, leitura agradável, blog recomendado.

VITRUVIUS

1

        O nome do site foi baseado no arquiteto romano Marcus Vitruvius Pollio (séc I a.C.), autor do tratado De Architettura, considerado o primeiro texto teórico ocidental sobre a disciplina.

        Dessa forma, o site Vitruvius é um portal que trata especialmente sobre textos, publicações e informações sobre arquitetura, além de também postar sobre urbanismo, arte, cultura, revitalização, design, paisagismo e patrimônios.

        Trata-se de um site da Editora Romano Guerra (Abílio Guerra e Silvana Romano Santos) que além de postar propagandas de alguns de seus livros, publica informações no site para atrair o mesmo público.

            O site está disponibilizado em rede mundial desde 2000. E por ser um site globalmente utilizado, possui as opções de linguagem em português, espanhol e inglês. Tornou-se um site de grande referência para pesquisas e eventos nas áreas das artes e é extremamente utilizado por muitos profissionais.

 

ORGANIZAÇÃO DO SITE

            Não apresenta muitas propagandas, sendo que as que aparecem na tela são sempre relativas aos temas do site.

           O design e formatação do site são extremamente limpos, porém não muito intuitivos.  As abas e tópicos não são claros na questão sobre do que se tratam e é preciso ficar procurando se você quiser um texto específico que muitas vezes não é encontrado pelo sistema da barra de busca.

PÁGINA INICIAL:

        A página inicial de acesso possui a barra horizontal para poucas propagandas e logo abaixo apresenta uma barra de pesquisas e buscas, além de informações de contato, de inscrições e cadastros para o site.

    O corpo dessa página é dividido em 3 guias principais: jornal, revistas e pesquisa. A guia selecionada ganha destaque e se torna preta enquanto as outras duas permanecem num cinza claro.

         A partir da seleção de uma das guias, são apresentadas pequenas chamadas e resumos sobre os diversos tópicos.

2

JORNAL:

      O Jornal se refere à uma seção mais informativa do site onde são apresentadas diversas notícias, eventos, concursos, agenda cultural, etc. De certa forma, é o local onde são postadas todas as últimas informações sobre organizações e eventos reunidas pelo site para arquitetos e urbanistas e apresentadas como uma espécie de agenda ou calendário.

3

REVISTAS:

              A aba de Revistas funciona como uma seção editorial em que são dividas várias revistas de acordo com as abordagens dos temas. Os tópicos são: Arquitextos, Arquiteturismo, Drops, Minha Cidade, Entrevista, Projetos e Resenhas Online.

           Essa seção traz a maior parte dos textos sobre conceitos, projetos e informações de mercado.

– Arquitetextos: revista mensal sobre arte, arquitetura, urbanismo e cultura.

4

– Arquiteturismo: revista mensal sobre turismo arquitetônico

5

– Drops: revista de variedade e sort cuts arquitetônicos

6

– Minha Cidade: fórum de debates sobre questões urbanas

7

– Entrevista: entrevistas com personalidades da área da arquitetura mundial

8

– Projetos: Projetos arquitetônicos e urbanísticos diversos

9

– Resenha Online: Resenhas de livros de arquitetura, arte e cultura

10

PESQUISA:

       Por fim, a aba de pesquisas é constituída a partir das últimas postagens em cada uma das abas anteriores e em um guia de livros, onde a Editora posta informações sobre seus livros físicos e onde comprá-los. Além disso, podem ser encontrados também livros de outras editoras, mas que são bem conceituados nas áreas das artes, arquitetura e urbanismo.

12

134.03 edificio culturale        ano 12, fev 2012

MORAVIA SEDUJO A ROGELIO SALMONA

Medellín, Colombia, 2007
[Rogelio Salmona]
texto de María Elvira Madriñán
 

         O lugar onde hoje está erguido o centro cultural de Moravia já foi, um dia, um grande lixão a céu aberto. Junto a esse cenário juntavam-se novos moradores, que invadiam os terrenos vizinhos, ou antigos moradores vindos dos pólos excluídos da sociedade.

         Assim o bairro se caracterizou como tendo uma população carente em vários aspectos e que crescia descontroladamente, mas que possuía uma cultura e organização própria. Sem infraestrutura de todos os tipos ali, coisas como equipamentos sociais eram somente os resquícios de outrora e, portanto inúteis.

          O centro cultural é projetado com um intuito de ser o catalisador de uma melhora na qualidade de vida nessa comunidade, de devolver sua dignidade e igualdade. É certo que no aspecto de servir a comunidade, o centro, o fez com maestria, antes mesmo de estar construído, a população já o acolhia e esperava de braços abertos.

           A arquitetura de Rogelio Salmona pretendia respeitar e colocar em evidencia o entorno e a diversidade ali existente, além de recuperar os espaços públicos.

     A propósito do espaço arquitetônico, o centro conta com um programa que inclui: uma auditório para mais de 300 pessoas, salas acústicas e salas livres,para reuniões, ensaios e capacitações.

           No texto de María Elvira Madriñán, vemos uma clara admiração e respeito por projeto e autor, afinal a arquiteta também é presidenta da Fundação Rogelio Salmona. Assim, suas palavras nos contam as intenções do projeto e nos relatam, de modo abstrato sobre o resultado do mesmo. Mas essa duvida na conformação final do projeto, pode ser mais bem esclarecida através da observação de fotos e desenhos agregados na publicação.

3

1 2 7 6 5 4

 
133.03 Toronto Canadá      ano 12, ago 2011

APRENDENDO COM O REGENT PARK

Por uma arquitetura e um urbanismo de miscigenação social
Maria da Silveira Lobo
 

        Em Toronto, no Canadá está localizado o Regent Park, com fins de alcançar a renovação do sistema de habitação social de Ontario, foi necessária a unificação do município e da província através da avaliação de mercado e com liberação de títulos da dívida pública, almejando patrocínio para as obras. Após a conclusão, o projeto foi descentralizado em 16 comunidades residenciais, administradas por gerentes que prestariam contas à um conselho de inquilinos.

         O bairro conta com um Plano de Desenvolvimento Social, este possui uma verba, além de um conselho consultivo que se reúne trimestralmente a fim de discutir questões pertinentes e ter reuniões com o conselho de moradores. Com o plano de revitalização do local, serão reconstruídas 2083 unidades de aluguel social e introduzidas 3300 unidades do mercado imobiliário, provendo assim moradia para um total de 12.500 pessoas numa comunidade de renda mista.

            Originalmente o bairro era próprio de uma comunidade de baixa renda, tomado por habitações de interesse social e com muitas barreiras para a melhoria da qualidade de vida dos moradores. O novo projeto para o bairro foi concebido como uma localidade de rendas e culturas mistas, aberto e intergrado. De modo que está se renovando, adicionando novas ruas e parques para reconectá-lo à vizinhança e receber os novos moradores.

     Outro ponto importante foi a implementação do Plano de Desenvolvimento Social, que pretende envolver os moradores como um todo, evitando uma divisão – comum em grandes grupos.As escolas são um dos meios mais importantes de inserção desse plano,  podem permanecer abertas depois do horário a fim de realizar programas que envolvam a comunidade em geral.

            Logo no começo do desenvolvimento da proposta para o bairro, foi crida mais uma comissão – Comissão Central de líderes de agências comunitárias, onde membros da comunidade foram consultados – conselhos de pais, grupos religiosos, negociantes locais, fornecedores de serviços, residentes inválidos, viciados, sem-tetos, comunidades vizinhas, jovens, instituições escolares e de cuidados com infância.

      Na terceira fase de implementação do Regent Park será experimentada a mistura de moradores de aluguel imobiliário e de aluguel social numa mesma edificação. Até então as duas partes tem construções separadas, mas que se propõe a ter uma arquitetura que não as diferencie por tal caráter.

         Para a realização das obras de reurbanização, foi necessário desalojar alguns moradores, estes tiveram opção de permanecer no local com uma nova casa, ou se mudar para um local de sua escolha. Somente 5% dos moradores optaram por sair, os demais permaneceram no bairro ou entorno.

           E quanto aos equipamentos comunitários que pretendem se instalar na comunidade, estes devem apresentar um plano de negócios, de forma a provar que seus produtos serão acessíveis as pessoas de menor renda.

          A autora Maria da Silveira Lobo desenvolve um texto claro e conciso que em muito nos esclarece sobre a proposta do bairro, não deixando dados importantes de lado, resguardando sua opinião para os últimos parágrafos.

              A ideia do Regent Park, de misturar cultura e classes, a primeira vista pode parecer sonhadora, mas durante o texto fica claro que por traz de tal meta existe um projeto bem elaborado e pensado em muitos detalhes.

            Portanto, vendo esse segundo exemplo e ao mesmo tempo nos voltando para a obra de Rogelio Salmona, pensamos que talvez as falhas na introdução do Centro Cultural fiquem claras aqui.

             Uma obra arquitetônica ou urbanística, mesmo quando muito bem elaborada e que tenha um objetivo tão dificil, como mudar uma comunidade, será falha se decidir por trabalhar sozinha. A arquitetura e o urbanismo, são só um passo- ainda que importante – na caminhada que é mudar os hábitos de um grupo.

B D C A monravia_culture_center_medellin_61 E GV recorrido2a

FONTES:

http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/projetos/12.134/4230
http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/minhacidade/12.133/4004

MOCO LOCO

MOCO LOCO

O blog Moco Loco é bem interessante para quem procura novidades e oportunidades.

É como um catálogo que oferece informações a respeito de:

  • Features
  • Design

– Arquitetura

– Mobiliário

– Iluminação

– Tecnologia

– Produtos Eco Sustentáveis

  •  Art

– engloba em categorias todo tipo de arte, desde pinturas à instalações e eventos.

  • Moco Mr.

– Categoria que mostra novidades para os homens de tudo que é novidade em relação a design e tecnologia (desde sapatos à carros).

  • Jobs

– categorizado pelos tipos de emprego relacionados a design, arquitetura, arte e alguns outros. A maioria nos EUA, a intenção é que sejam ofertas de emprego pelo mundo inteiro.

moco1

O blog seleciona tópicos contemporâneos e os apresenta, seja sobre uma casa, uma luminária ou uma cadeira. Ele não se aprofunda em nenhum assunto, mas deixa disponível o link do site do designer ou de outro blog do qual tirou a publicação, onde, pode-se encontrar mais informação sobre o assunto.

Segue abaixo alguns exemplos das publicações:

moco2

HOUSE BOONE MURRAY BY TRIBE STUDIO ARCHITECTS

by Ted Savage / March 26, 2013

Decorative and frilly to simple and unadorned, House Boone Murray by Tribe Studio Architects, an old home upgrade in Sydney, Australia, makes the transition from somewhat ornate street-facing 1920s bungalow facade, to modern addition at the rear.
moco3

Inside, historical details are preserved and inform the remodeling. Via ArchDaily. Photos: Peter Bennetts.

No site sugerido a cima você encontra a informação aprofundada com mais fotos:

Archdaily

Architects: Tribe Studio Architects
Location: SydneyAustralia
Architect In Charge: Hannah Tribe, Ricci Bloch
Builder: JLS Construction
Area: 197 sqm
Year: 2012
Photographs: Peter Bennetts

moco4

This 1920s bungalow in Sydney’s East has been updated to suit a young family. A poor 1970s rear yard addition was carefully removed from the original house and historic details preserved. A new addition to the rear has a contemporary architectural and interior language inspired by the old.

moco5

The existing house is highly decorative to the street elevation only: it is rendered and modelled with some complex corbelling and fretwork. In stark contrast, the side elevations of the house are completely unadorned. The new additions takes its cue from this diminution in decoration and presents are totally flat elevation to the rear garden. Hence the public face of the house is decorative and frilly, while the private face is quiet, honest and unadorned. It is the unpretentious face of private family life.

moco6

Planta baixa

moco7

moco8

moco9

House Boone Murray / Tribe Studio Architects” 22 Mar 2013. ArchDaily. Accessed 14 May 2013. http://www.archdaily.com/348519

 

Mais um exemplo é o projeto Eco que está também no blog Design Boom e é mostrado no Moco Loco como referencia:

PROJETO ECO

moco10

N HOUSE BY STUDIOGREENBLUE

by Yvan / December 14, 2010

Via @designboom, an energy efficient house in Japan with concrete beams that store heat and act as draft deflectors in a treeless and windy environment. These louvered sections inside the house affect air and light penetration while providing structural support. More at StudioGreenBlue.

 

EM DESIGNBOOM:

Using the energy of nature, the warmth of sunlight and winds as starting points, japanese studiogreenblue have designed ‘n house’ located in saitama prefecture, japan.

The site is situation on an inland area in the kanto-plain, the hottest place in japan, with grounds surrounded by fields of spring onion. in such a harsh, dry environment, the inhabitants of the house, wanted a place which was warm 
and private.

for the design, the architects decided on a concrete structure, for its big calorific capacity. the beams store heat, allow light to penetrate, bear horizontal power and reduce the cold draft by using the concrete as a louver. the house has an opening, like a gate, to shut out sunlight and allow more 
wind to pass through.

Generally in japanese houses there is a ‘central pillar’ which supports the house, however in this circumstance the environmental aspect became the most important problem. The concrete louver provide privacy and gives the house 
its overall structure.

moco11

moco12

moco13

moco14moco15moco16 moco17

moco18

floor plan

project info:
scale structure: one-story private housing
site conditions: fukaya, saitama prefecture, elongated in the back premises, no views of the surrounding grounds.
concept: house with a concrete louver

 

No site o que é mais procurado são os exemplos e referencias de mobiliário, inclusive eles também usam a mídia social para prover esta categoria, como o Instagram. Quando você está sempre a procura de novas referencias, em busca de novidade do que está saindo no mercado para venda sempre encontra lá – @mocoloco.

Mobiliário:

moco19

RACKET CHAIR BY THE CAMPANA BROTHERS

by Ted Savage / May 14, 2013

Seating that recycles itself, Racket Chair by the Campana Brothers, in their Racket collection, combines bent brass, nylon stitched base, and a hand-stitched motif made from remnant backings of Thonet chairs, originally designed over a century ago.

moco20moco21

Based in Sao Paolo, Brazil, brothers Fernando and Humberto’s Estudio Campana is possibly the best known design practice in the southern hemisphere.

The chair is part of the Concepts exhibition, the Brothers’ first solo US show, at the Friedman Benda Gallery, June 5th to July 3rd, 2013, in New York.

 

Moco Loco apresenta mais um projeto novidade:

moco22

LEGO Group presents an animation of The Lego House experience center designed by BIG.

Post retirado de outro blog – Dezain.net

Para saber mais, no blog Dezeen.com tem uma matéria um pouco mais aprofundada:

BIG‘s Lego House resembles a stack of Lego bricks rising from a public square in the company’s home town of Billund, Denmark.

Inside, the bricks will house exhibition spaces, a café and a shop, while several roof top gardens and sheltered spaces beneath the building will be accessible to the public.”

“The LEGO House:
Will cover an area of 80 by 100 meters and it will be approximately 30 meters tall.
Will feature a total of 7,600 square meters – including exhibition areas, a café, a LEGO store and a public square.
Will be built at the center of the town of Billund, and many entrances will open up the building to the surrounding area.
Will be built in collaboration between KIRKBI A/S, the LEGO Foundation and the LEGO Group, but the LEGO Group will handle the daily operation of the LEGO House once finished.”

Conclusão:

Para estar por dentro dos lançamentos de arte em geral, achamos o site interessante, pois tem uma seleção muito boa das novidades mais relacionadas a designs diferentes. Não é um blog que direciona à críticas e pensamentos contemporâneos, mas basicamente um catálogo para encontrar referencias.

 

 

 

 

 

 

ArchInHome.com

Por Helena Moita e Maria do Carmo Nery

Sobre o site:

O site analisado trata dos seguintes assuntos: aparelhos eletrodomésticos, arquitetura, casas de praia, casas contemporâneas, móveis e mobília, design de “casas verdes”, design de interiores, casas luxuosas e casas modernas.
No topo da página existe uma propaganda fixa e, do lado direito aparecem vários tópicos que se clicados, abrem uma pagina com sites relacionados ao assunto.

Quando um post é selecionado, a nova pagina que aparece não possui nada além do que já tinha sido apresentado anteriormente, a única diferença é o tamanho do texto e das imagens.  Isso ocorre em todas as matérias até a pagina 3, depois disso aparece uma opção (LER MAIS) e ai sim aparece um texto um pouco mais completo sobre o assunto.

Para encontrar matérias determinadas o site possui dois mecanismos de busca, sendo um separado por categoria e o outro pelo mês de postagem da matéria. As duas opções aparecem do lado esquerdo da pagina.

site1

O site funciona com o esquema de publicar postagens de qualquer um que a queira fazer, além de possuir postagens do administrador. Só é pedido que os assuntos e temas sejam respeitados e que as fotos estejam em alta resolução. Isso de certa forma acaba se tornando uma oportunidade de autodivulgação de profissionais que buscam reconhecimento e espaço no mercado.

site2

Com esta proposta, há dias em que não são feitas publicações e outros que possuem mais de duas publicações. Durante o período de 10 de janeiro de 2012 até 28 de abril de 2013 não houve nenhuma postagem no site. Como as matérias são enviadas pelos leitores ou quem quer que seja, não há um tema seguido ou uma linha de raciocínio nos posts apresentados em um único dia.

Todas as matérias seguem um padrão de composição: primeiramente surge o tema, seguido da data de postagem e da categoria em que esta inserida. Logo abaixo se apresenta um breve texto explicativo que cita o local, quem projetou, e uma leitura mais relacionada à forma, beleza, acabamentos utilizados, etc. Os processos construtivos, tecnologias e materiais empregados são citados mas em nenhum momento há explicação mais aprofundada do motivo da escolha ou forma de aplicação dos mesmos. A seguir aparecem cerca de 3 ou 4 imagens e por fim uma tag com publicações relacionadas existentes no site. Podemos dizer que os textos são muito descritivos e as imagens meramente ilustrativas.

site3

site4

site5

site6

site7

site8

Não podemos deixar de lembrar que esses textos seguem um mesmo padrão pois o mesmo é pedido que seja feito pelo administrador do site. Concluimos que essa é a intenção do administrador, apresentar matérias curtas sobre tendências e novos conceitos que instiguem a curiosidade do leitor a buscar mais informações fora do site.

Os posts apresentam sempre fotos e ilustrações dos projetos, nunca são incluídos desenhos técnicos ou detalhes construtivos. Com isso a matéria atinge somente um nível superficial, não sendo suficiente para total entendimento do leitor sobre o assunto apresentado e, instigando uma busca mais aprofundada em outras fontes de pesquisa.

Análise do conteúdo:

Small Beach House by Javier Artadi, 9 de maio de 2013

O site archinhome.com apresenta um breve texto sobre o projeto sem detalhes de sua construção ou materiais utilizados na obra. Com a falta de plantas e cortes, a compreensão do projeto foi muito difícil e tivemos que procurar outras fontes para melhor entendimento. O site archdaily.com publicou sobre esse projeto no dia 14 de maio de 2012, com plantas, cortes e elevações e assim conseguimos compreender algumas questões levantadas por nós.

m0

O projeto de Javier Artadi fica em Lima, Peru. O conceito é de uma casa de férias que nos faz perder a noção do espaço físico de fora e dentro da casa. O arquiteto se focou em uma forma geométrica, o cubo, e o recortou de todas as formas, criando janelas e aberturas para maximizar a luz solar e o enquadramento da paisagem em seu projeto.

O espaço da casa que recebe sol tem como objetivo trazer a sensação de estar fora, mas com o conforto e luxos de um espaço protegido.

m1

m2

m3

m4

m5

Fonte: http://www.archinhome.com

Pelo texto apresentado no site archinhome.com, o volume principal abriga a sala de estar, que está ligado ao terraço e a piscina. Um outro volume é formado pela área privativa da casa mas achamos o texto pouco esclarecedor e só entendemos após analisar os desenhos do projeto.

m6

Planta pavimento térreo

m7

Planta pavimento inferior

m8

Cortes

m9

Elevações

Fonte: http://www.archdaily.com

Modern teen room by Battistella Industria Mobili, 10 de maio de 2013

A Battistella é uma empresa especializada na produção de mobiliário em madeira para crianças e adolescentes. O site archinhome.com mostrou algumas opções de mobiliário que satisfazem as necessidades desses jovens como: uma área para os estudos, camas, roupeiros e prateleiras criativas, utilizando todo o espaço disponível e oferecendo solução para pais com dois ou três filhos.

Mesmo com uma aparência publicitária, essas soluções ajudam no projeto de um quarto para mais de uma criança com ótimas ideias, misturando arquitetura e design num trabalho conjunto de resolução e layout.

m10

m11

m12

m13

Fonte: http://www.archinhome.com

Enjoy summer with comfort summer daybeds, 28 de abril de 2013

A Skyline Design possui uma linha de sofás ideais para a exposição no sol. Três sofás dessa marca são apresentados, com design contemporâneo e ótimo tamanho para aproveitar o sol acompanhado. Outra vantagem é seu tecido sintético de cana, sendo mais resistente as degradações que o sol provoca e fáceis e lavar, aumentando sua útil.

Afim de apresentar a Skyline Design, o site archinhome.com não mostra esses sofás como uma solução de projeto, e sim como uma publicidade.

m14

m15

m16

Fonte: http://www.archinhome.com

DEZEEN

– POR: JÚLIA DARAYA E LETICIA DE NOBREGA

dezeen

 

Segundo a própria descrição do site, Dezeen é um dos sites mais influentes no mundo em arquitetura e design, chegando a ter milhões acessos por mês, de todas as áreas do globo.

Começou em Novembro de 2006 com uma nova forma acessível de jornalismo e crítica de design baseado no então novo formato de blog.

O site abrange mais assuntos do que apenas arquitetura – trata de design de produtos, arquitetura de interiores  e inclusive moda, como pudemos ver em uma reportagem onde o vestuário faz menção à referência da arquitetura gótica e, a partir daí, vemos a conexão.

Marcus Fairs é o fundador e editor-chefe da Dezeen e um dos mais respeitados jornalistas do projeto. Marcus foi editor fundador da revista Ícone e é autor de dois livros anteriores, Twenty-First Century Project (2006) e Green Project (2009), ambos publicados pela Carlton Books.

Ao longo dos últimos cinco anos Dezeen expandiu sua marca, possuindo agora também:

→ Jobs Dezeen, um dos sites líderes em recrutamento de designers do mundo on-line

→ Dezeen Screen, o recurso de vídeo líder de design

→ Dezeen Watch Store, loja de relógio online.

→ Dezeen Book of Ideas, a primeira publicação da marca.

 

PRODUTOS

O Dezeen Book of Ideas é um dos produtos da marca Dezeen. São edições impressas onde, segundo a própria marca, há uma “seleção de belas idéias pelos melhores cérebros criativos do mundo”.
O livro cobre assuntos de arquitetura, interiores e design, contendo conceitos e produtos revolucionários escolhidos pela equipe da Dezeen, representando uma nova abordagem, com 116 exemplos de gênios do design, ricamente ilustrados com fotografias coloridas. Vem em formato A5 (o que o torna altamente acessível)  e custa £10.

Outro produto lançado pela Dezeen é o London Design Guide, que tem como conteúdo a cidade e seus varejistas vintage e contemporâneos, assim como galerias de design, lojas de livro e museus. Esses “hotspots” são comentados por Max Fraser, design e comentarista.

As lojas são divididas em categorias, onde se encontram na vizinhança e são acompanhadas por mapas. Além disso, uma tour é feita e escrita para mostrar o que se tem de melhor na cidade. Os escritores são Sheridan Coakley, Tom Dixon e Kit Kemp. Restaurantes, bares e cafés são recomendados tanto por sua qualidade em comida e serviço, quanto por suas credenciais de design.

O London Desing Guide é uma celebração da criatividade e uma pequena amostra da cena do desing hoje em dia. Ele serve como uma ferramenta tanto para londrinos quanto para turistas. É um incentivo para se explorar o desing na capital.

UntitledUntitled2

ESTRUTURA DO SITE

Untitled3

 

O corpo do site é dividido de maneira relativamente organizada.

À esquerda os tópicos são: Magazine, News, Movies, Jobs, Watch Store e MINI World Tour.

O tópico Magazine é justamente aonde são publicados projetos de várias áreas, assim como matérias sobre diferentes assuntos, onde todas as novas publicações do blog são encontradas por ordem de postagem.

O tópico Movies também possui temas de diversas áreas, mas de uma forma mais ampla, pois o assunto ali abordado possui uma pequena história a ser contada – os vídeos de curta duração, dão a possibilidade ao leitor de ter contato com uma forma de comunicação diferente, ampliando e complementando o conhecimento sobre aquela reportagem.

O tópico Jobs abre espaço para publicações de empregos, procuras de estagiários, profissionais que trabalhem part ou full time. As empresas publicam suas exigências em uma página da Dezeen, que funciona como intermediária entre o contratante e o contratado. Lá, a empresa deixa os contatos necessários para os interessados deixarem seus currículos e poderem se comunicar futuramente.

Dentro dos vários produtos de design que a Dezeen abrange, um foi eleito para ser aprimorado e, com o tempo, incorporado à marca: os relógios. Com isso, foi criada a “DezeenWatch Store”. Assim, Watch Store é o tópico que dá acesso a uma loja de relógios online. Esses relógios são de designers importantes e marcas independentes.

E por fim, o MINI World Tour é um projeto da Dezeen e da empresa MINI, que viajou o mundo, visitando 8 cidades para descobrir os novos talentos, tendências e os temas mais importantes em arquitetura e desing em 2013.

Untitled4

 

À direita da tela, há a separação pelos assuntos: Arquitetura, Interiores e Design.

Quando um deles é escolhido, uma seleção das reportagens sobre o assunto abre na tela principal: uma imagem ilustrativa com uma legenda sobre o projeto. Se for do interesse do leitor, este pode clicar na imagem ou no título para ler mais sobre o referido assunto.

Quando uma reportagem é aberta, ao fim, outras reportagens, notícias e projetos que podem ser interessantes ao mesmo tema, são sugeridos para o leitor. Ao mesmo tempo, palavras significativas nas explicações dos textos possuem links que pode ser abertos em outras telas, para melhor esclarecimento.

Também do lado direito, abaixo do pequeno índice dos assuntos, há um espaço para busca livre no site e a indicação da semana, num estilo adaptado de redes sociais: “this week we like: […] “.

 

MATÉRIAS

Como linha de raciocínio, pegamos a palavra “cultura” para nos margear. Tendo em vista que o foco da semana para o site eram casas japonesas, procuramos dentre as reportagens mais recentes uma que nos chamasse atenção para alguma característica forte da cultura japonesa. Observando as casas pudemos notar que, em meio a uma densidade tão grande, o que as pessoas mais procuram é a privacidade. Com isso, escolhemos a reportagem sobre a ST – House, por Panda, onde uma característica marcante e inusitada é colocada em questão a fim de privilegiar essa privacidade.

Seguindo esse pensamento, procuramos uma matéria que envolvesse a cultura local somada às necessidades momentâneas. Como resposta, encontramos um projeto muito interessante executado pelo arquiteto japonês Shigeru Ban, a Post-Tsunami Housing, onde podemos observar os costumes, o clima, a cultura, entre outros aspectos, tendo forte relevância na concepção do projeto. Esta matéria é muito interessante em questão à cultura, justamente por se tratar de um arquiteto japonês procurando entender os costumes muçulmanos, fazendo pesquisas in loco, a fim de atingir o objetivo do projeto.

Notamos então que a cultura de cada local e cada povo influencia diretamente na maneira de se pensar e construir arquitetura: desde seus materiais até suas perspectivas  e intenções de projeto. Para ilustrar essa perspectiva, escolhemos a terceira matéria, que trata da preservação de tradicionais casas de palha em Mbaru Niang, por Rumah Asuh.

 

Post-Tsunami Housing – 

http://www.dezeen.com/2013/05/03/post-tsunami-housing-by-shigeru-ban/

Shigeru Ban

Após a devastação do tsunami ocorrido em 2004, o desenvolvedor Philip Bay pediu para que o arquiteto japonês Shigeru Ban desenvolvesse um projeto para a reabilitação de uma vila de pescadores muçulmanos, na região de Tissamaharama, costa sudeste do Sri Lanka. Segundo os pedidos de Bay, Shigeru Ban haveria de projetar uma casa protótipo que pudesse ser construída com o menor custo possível, utilizando materiais locais e adequando-se ao clima tropical. Com essas premissas básicas, o projeto do arquiteto consolidou-se em uma casa “molde”, feita basicamente de madeira e terra, que serviria para a construção de mais de 100 casas de reposição na vila de pescadores de Kirinda.

“Isso não ia ser um esforço de socorro tradicional onde iríamos fazer casas muito rápido e sair”, disse Bay. “Eu queria tratar isso como um projeto de desenvolvimento.”

O projeto compreende uma estrutura de piso único, com paredes feitas de blocos de terra comprimido e um telhado inclinado feito de madeira de teca e coco de origem local.
Cada casa tem dois quartos, uma sala e um pátio coberto, onde os moradores podem usar como sala de jantar, espaço social, ou simplesmente como um lugar para reparar suas redes de pesca.

O objetivo foi adaptar as casas ao clima local, incluir as condições de trabalho e materiais locais para trazer lucro para a região e para responder às próprias necessidades dos moradores, por meio de consultas diretas. Por exemplo, cozinhas e casas de banho estão incluídas dentro de cada casa, como solicitado pelos moradores, mas uma área coberta central os separa da área de habitação, conforme estipulado pelo governo. A área coberta também oferece um espaço de entreterimento, onde as mulheres podem se retirar para manter a privacidade. Para divisão dos quartos, são utilizadas telas de madeira adaptáveis ​, de acordo com um estilo de vida muçulmano. Nas palavras do próprio arquiteto japonês:

“Esta é a primeira vez que eu trabalhei para as sociedades muçulmanas. Por isso antes de contruir as casas tive uma reunião com a comunidade para descobrir o que tem que ser feito com cuidado. Dependendo da geração, por exemplo, tivemos para separar o espaço do homem do espaço da mulher “.

Shigeru Ban também desenhou móveis para a residência, usando a madeira das Seringueiras, comuns na região.

A revitalização da vila foi concluída em 2007, mas o projeto foi recentemente nomeado entre os 20 projetos da shortlist para o Aga Khan Award 2013. Outros projetos na shortlist incluem um cemitério islâmico na Áustria e um campo de refugiados no Líbano reconstruído. Cinco ou seis finalistas serão revelados no final deste ano e vai competir para ganhar o prêmio de US $ 1 milhão.

Shigeru Ban também trabalhou em uma série de outros projetos de ajuda humanitária. Ele desenvolveu blocos de apartamentos feitos de contêineres para as vítimas do terremoto e do tsunami japonês de 2011 e foi um dos vários arquitetos de alto nível envolvidos no Make It Right, projeto habitacional em Nova Orleans.

Untitled5

Localização: Kirinda, Sri Lanka (Asia)
Arquiteto: Shigeru Ban Architects, Tóquio, Japão
Cliente: Philip Bay
Conclusão: 2007
Início: 2005
Medidas:  71m² por casa – Área total: 3.195m²

6

 

7

 

8

 

9

 

10

Fotografias  por Dominic Samsoni

 

ST – House by PANDA – 

http://www.dezeen.com/2013/04/18/st-house-by-panda/

Captura de tela 2013-05-14 às 00.14.09

 

Situada em um lote pequeno de 40m², entre duas casas vizinhas, a casa ST-House localiza-se na capital do Japão, Tóquio. Por encontrar-se em uma condição de ocupação de alta densidade, comum da cidade, a casa teve que ser projetada segundo os requerimentos do plano local e o projeto procurou atender as intenções particulares da população japonesa.

O edifício é construído de madeira e possui 3 andares.  É possível observar que as janelas foram colocadas na construção de maneira muito particular, onde parte delas está “coberta” por uma parede de concreto e a outra parte costuma se encontrar em um local mais alto do ambiente, procurando privilegiar a iluminação natural ao mesmo tempo que mantém-se a privacidade dos moradores. Com isso a iluminação cria desenhos diferentes no ambiente e a ventilação natural também é alcançada.

O que há de muito característico nesta construção é justamente esta parede de blocos de concreto que a cerca no primeiro nível, que parece ser acessória à casa. Esta parede circundante, por mais inusitada que pareça, tem sua função –  visa prezar a privacidade dos moradores, que, morando numa área altamente urbanizada e com vizinhos extremamente próximos, preferem ter as vistas de suas aberturas para a parede de blocos aparente à privar-se de sua privacidade e segurança. Tendo certo distanciamento da casa, a construção desta parede não priva a casa de iluminação natural e ventilação, preservando a salubridade do local.

Segundo o arquiteto Kozo Yamamoto, “Colocando a cerca como bloco de concreto ao longo das bordas do local, nós criamos uma zona semi-interior entre as paredes e a casa, assim o espaço interior é visualmente estendido em toda extensão do local.” Essa cerca de concreto se encontra na frente de todas as janelas do primeiro andar, que apesar de possuírem uma vista cinza, são de grandes dimensões, onde a luz entra de forma difusa.

Captura de tela 2013-05-14 às 00.14.54

 

Para criar uma sensação de maior espaço nesse pequeno volume, a sala de estar, sala de jantar e cozinha se encontram no primeiro andar, onde desses ambientes se tem uma visão privilegiada da altura e do volume da casa.

Captura de tela 2013-05-14 às 00.13.59

 

Captura de tela 2013-05-14 às 00.14.27 Captura de tela 2013-05-14 às 00.32.46

 

Captura de tela 2013-05-14 às 00.32.35

 

dezeen_ST-House-by-PANDA_20_1000

 

– Planta Pavimento Térreo

dezeen_ST-House-by-PANDA_21_1000

 

– Planta Primeiro Pavimento

dezeen_ST-House-by-PANDA_22_1000

– Planta Segundo Pavimento

dezeen_ST-House-by-PANDA_23_1000

 

– Planta Cobertura

dezeen_ST-House-by-PANDA_24_1000

 

– Corte A

dezeen_ST-House-by-PANDA_25_1000

 

– Corte B

O projeto japonês mostra como a cultura de cada país influencia em sua arquitetura. Nesse ambiente onde existe uma alta densidade, as residências precisam ser de menores dimensões e, como são muito próximas umas das outras, a questão da privacidade é um ponto muito importante a ser considerado. Podemos observar que as necessidades de sobrevivência são as mesmas principalmente em questões de iluminação e ventilação, mas conforme os costumes desse local, alguns fatores são essenciais para uma boa condição de vida.

No caso específico deste projeto, uma parede, aqui considerada como “cerca” de concreto foi escolhida para solucionar o problema do espaço, que muito influencia a cultura oriental. Outras soluções poderiam ser levantadas, com outros tipos de materiais ou até com a utilização de cercas vivas. Achamos, o entanto, instigante a decisão da parede de blocos de concreto.

Captura de tela 2013-05-14 às 00.34.33

 

 

Preservation of the Mbaru Niang By Rumah Asuh – http://www.dezeen.com/2013/05/08/preservation-of-the-mbaru-niang-by-rumah-asuh/

Captura de tela 2013-05-14 às 18.45.27

 

Esse projeto coletivo, liderado por Yori Antar envolveu o reparo e a reconstrução das últimas tradicionais casas de palha de formato cônico na vila Wae Rebo, Ilha Flores, Indonésia. Foram reparados duas construções e substituíram outras. A construção foi feita conforme as tradições e técnicas manggarai. Para isso patrocinadores ajudaram na construção e membros locais ajudaram na construção e plano de cada estrutura.

Quando Yori Antar se envolveu no projeto, possuía o objetivo de não somente ajudar, mas aprender, pois segundo ele “Quando vamos para a escola, o que aprendemos é sobre estruturas modernas, o concreto, o ferro, mas nunca aprendemos sobre esse tipo de construção”. Para ele há muitas coisas que se podem aprender ao se envolver em um projeto desse gênero, como por exemplo, como nos adaptamos com o clima da região.

A estrutura é feita com quadros de bambus leves, amarrados com uma corda e seu exterior é revestido com uma camada de um derivado de um material que tem origem local a madeira worok. Para a renovação, que acontece em um curto período de tempo, são usados materiais da floresta.

Captura de tela 2013-05-14 às 18.45.52

 

Captura de tela 2013-05-14 às 18.46.20

 

Captura de tela 2013-05-14 às 18.46.50

 

As casas dessa comunidade representam uma cultura viva e essa técnica de construção faz parte dela, sendo passada de geração em geração. Estudantes de universidades estão participando dessa preservação cultural, fazendo com que essa cultura prospere ao longo dos anos.

Com esse projeto, a cultura da comunidade que ali vive foi preservada e uma arquitetura que nos parece muito rudimentar nos ensina muito sobre a história da humanidade. A cultura e o ambiente em que a arquitetura está inserida, influencia muito em seu funcionamento. Técnicas que são utilizadas há anos, sem necessidade do uso da alta tecnologia, nos parecem muitas vezes algo totalmente revolucionário, mas é só prestarmos atenção naquilo que já possuímos. Essas culturas, que ainda não foram “engolidas” pela globalização, tem algo muito valioso a nos ensinar.

Captura de tela 2013-05-14 às 18.47.20

 

 

COMENTÁRIOS

Achamos o blog organizado de maneira geral, pois cada tipo de informação é dividida em partes diferentes do site, o que o torna menos confuso. Apesar disso, quando é acessada a página principal, que também é chamada de Magazine, é possível observar que as últimas postagens são aquelas que dão a ordem de importância de cada assunto.

Por se tratar de uma página na internet, é possível ter acesso a vários assuntos ao mesmo tempo e o site trabalha com esse jogo, utilizando diferentes tipos de comunicação. Isto tem seu lado positivo e seu lado negativo. O negativo é a difícil concentração apenas na reportagem que está sendo lida, pois devido às diversas opções presentes na tela, o leitor fica tentado a clicar em diversas coisas ao mesmo tempo, o que faz com que possa haver uma mistura de informações. Por outro lado, a facilidade de ter várias ferramentas à mão pode ajudar a interligar assuntos e aprofundar as informações sobre uma determinada reportagem. O fato é que quando uma matéria está sendo lida, outra, que o site julga ter interligação com aquela que a pessoa já está lendo, aparece e chama a atenção, intrigando o leitor a lê-la, muitas vezes antes mesmo de ter terminado a primeira à que havia se proposto. Com isso, não há uma leitura linear como numa revista impressa, por exemplo, ou até num aplicativo em gadget – aqui a leitura é feita em “zig-zag”: o leitor vai, volta, espera um vídeo de um assunto carregar e muda seu foco para outro assunto de interesse, e assim vai.

Consideramos o tópico “Jobs” uma ótima iniciativa, que torna o site mais completo e faz com que mais pessoas tenham interesse em acessá-lo. Com ele, Dezeen tenta aproximar os profissionais do ramo às empresas.

Ao compararmos o site com a mídia anteriormente analisada, (revistas) percebemos diferenças enormes. Um ponto em comum, entretanto, são os espaços reservados para propaganda, que recebem um local privilegiado conforme o preço que foi pago.

No computador a imagem, além de ter cor, possui movimento, o que chama a atenção dos olhos para tudo, possibilitando ao dono do blog/site, manipular o seu leitor para onde quiser. A leitura, como já comentamos, acaba sendo feita sem uma ordem cronológica e linear – você vai abrindo as reportagens conforme elas chamam mais atenção na tela e, de certa maneira, dependendo da hora que as indicações aparecem.

 

 

Death by Architecture

DE

Por – GABRIELA CAROTINI , JULIA DE CARLE E LUIZA ALBIERO TAVARES

O  BLOG

O blog foi ao ar pela primeira vez em 1995, como uma pagina pessoal do seu fundador, Mario Cipresso, estudante de arquitetura da Universidade de Illionois, Chicago. Alguns anos mais tarde, em 1997, o site tomou um novo rumo, tornando -se um website de informações sobre competições de arquitetura e que devido ao seu sucesso acabou por fazer parcerias com diversos outros, tornando-se sócio-fundador da Rede Internacional de Competições no mesmo ano.

Graças ao seu sucesso, o site Death By Architecture precisou expandir seus horizontes para poder atender e fornecer informações de forma completa e objetiva aos seus usuários. O site cresceu, e começou a falar sobre temas que iam além da arquitetura, como exemplo, o design.

O Death By Architecture hoje, tem 18 anos de história e conta com patrocínio e colaboração de outros sites e o mais recente re-design do site foi realizado com uma bolsa da Fundação LEF na Califórnia, e com a colaboração da empresa de design de Los Angeles de mídia digital, Jardim Digital.

O site procura trazer o máximo de informação que os internautas procuram. O que começou como um site pessoal evoluiu para uma comunidade abrangente de recursos e com listagens de competição internacional, artigos, resenhas e links relevantes. Seu foco é informar aos estudantes e profissionais dos ramos de arquitetura e design, as competições que estão sendo lançadas pelo mundo.

Apesar do site ser funcional, há alguns pontos negativos quanto ao layout, quanto a cor de fundo da tela e ao tamanho e cor da fonte, dificultando a leitura dos textos.

A forma como o site estruturou os tópicos proporciona uma maneira mais rápida de se chegar ao tipo de informação que o usuário deseja, evitando que o internauta se confunda.

SOBRE O AUTOR

mario

Mario Cipresso, morou cerca de 25 anos em Chicago e depois mudou-se para Los Angeles onde terminou o seu mestrado em Arquitetura na UCLA em 1999.  Ele também fundou o Estúdio Shift em 2004 e esta atualmente no corpo docente da Faculdade de Arquitetura da USC.

ESTRUTURA DO SITE

O blog Death By Architecture possui sete tópicos e a partir disso há várias ramificações.

A homepage apresenta no topo da página uma breve introdução às últimas noticias sobre novas competições, últimos artigos postados e últimos comentários. Já no final da página, há um calendário, organizado de acordo com o tempo restante para a inscrição nas competições.

Os tópicos são divididos em:

– HOME: a pagina inicial do site, com tudo que há de mais recente do blog, anunciando os novos concursos, últimos artigos , últimos comentários e prazos para inscrições.

1

– COMPETIÇÕES:  organizadas conforme prazos de inscrição e com subcategorias segundo o interesse do leitor, sendo elas: PRÊMIOS > INTERNACIONAL > DIVERSOS > REGIONAIS > ESTUDANTES > TODOS.

1111

Os concursos estão organizados em ordem cronológica, e quando clicados, abre uma nova página com uma breve apresentação e descrição do concurso e que oferece informações de fácil identificação através de tópicos para:

–  Categoria: se é regional, nacional, internacional

– Tipo: o qual diz respeito se é uma competição aberta, de uma ou mais etapas, etc.

–  Prazo máximo de inscrição

– Prazo de envio

– Taxa de inscrição

– Premiações

– Jurados

– Contato com alguém relacionado à competição

– Email de contato direto da competição

– Web site do concurso

– Telefone de contato

ARTIGOS: aborda diferentes tipos de textos, como por exemplo, uma resenha de livro, fotografias, exposições, assim como resultados dos concursos. O site apresenta sempre um texto de introdução, fotos e comentários.

22

– PESQUISAS: nesse tópico, o site apresenta uma seleção de tags com palavras chaves, onde de acordo com a sua escolha, te encaminha para um outro site onde é abordado de forma mais completa sobre o tal assunto.

3

LOJA: é um site terceirizado, disponível para compra de camisetas, canecas entre outros, contendo o logotipo do site.

4

-CONTATO: eles disponibilizam um e-mail de contato para uma eventual dúvida do internauta, assim como também deixam um formulário caso você tenha alguma sugestão de concurso que o site não abordou.

5

ASPECTOS POSITIVOS E NEGATIVOS

POSITIVOS:

– O blog tem objetivode informar sobre competições de arquitetura e design

– Fácil entendimento

– Bem organizado e estruturado

– Anuncia concursos internacionais, e de varias categorias.

– Organização cronológicas dos concursos

– Os concursos são atualizados diariamente

NEGATIVOS:

– Layout do site pobre, desinteressante

– Não tem dinâmica

– Fundo branco

– Não informa quem foram os vencedores dos concursos.

–  Demora para  atualização de posts, geralmente 10 dias.

– Ainda não há  publicações de 2013 no site.

– Calendário com fontes pequenas e cores muito claras

CONCURSO EM ANDAMENTO

23

ESTRUTURA SIMBÓLICA DA COPA DO MUNDO – RIO DE JANEIRO

O PROJETO

12

Localizando e inserindo o Projeto com o local e o contexto da competição, uma breve introdução:

O Rio de Janeiro é a segunda maior cidade do Brasil, a terceira maior área metropolitana e de aglomeração na América do Sul , tendo cerca de 6,3 milhões de pessoas dentro da cidade propriamente dita. Isso a torna a 6ª maior das Américas e 26º maior cidade do mundo.

A Copa do Mundo FIFA 2014, que é um torneio internacional de futebol que vai acontecer no Brasil a partir de 12 junho – 13 julho de 2014. Esta será a segunda vez que o Brasil recebe a competição tendo acontecido primeiro em 1950, fazendo do Brasil o quinto país que sediou a Copa do Mundo duas vezes após o México, Itália, França e Alemanha.

REALIZAÇÃO

AC-CA-Internacional Architectural Competition

PROPOSTA DO CONCURSO

No próximo ano, o Rio de Janeiro vai ser uma cidade-sede para a Copa do Mundo de Futebol. Este concurso de idéias convida arquitetos, engenheiros e estudantes para elaborar planos para uma estrutura independente da Copa do Mundo na praça da Lapa, no coração do Rio de Janeiro durante a Copa do Mundo 2014. Embora não exista planos para que a estrutura vencedora do concurso seja construída, os três primeiros colocados receberam prêmios em dinheiro além de terem seus projetos publicados em diversas revistas.

13

OBJETIVO

O intuito do projeto é  criar um espaço social e de convívio que inclui uma grande tela de TV ao vivo para que se possa assistir aos jogos, um espaço de informação, um café, etc.

* Encorajar e recompensar o design de excelência em pequena escala, que integra a função, estrutura, detalhes e o espírito da própria Copa do Mundo.

* Procurar, responder e destacar os aspectos únicos de projetar uma estrutura icônica que será usado pelos visitantes durante a Copa do Mundo.

* Promover o emprego de design sustentável em todos os aspectos da proposta.

ESTRUTURA DO CONCURSO

A competição acontece em uma única fase com o objetivo de identificar a proposta mais adequada, e que melhor satisfaz os objetivos gerais e específicos desse concurso.

TIPO DE CONCURSO

Aberto, internacional, de idéias (sem objetivo de construção).

REQUERIMENTOS PARA INSCRIÇÃO

Arquitetos, engenheiros e estudantes das áreas já citadas. Equipes interdisciplinares também são incentivadas a participar do Concurso.

As inscrições podem ser o trabalho de um indivíduo ou de um grupo de até  quatro membros e não há limite de idade.

Este é um concurso internacional aberto hospedado por [AC-CA] ™ para gerar idéias progressistas de design contemporâneo. Não há planos reais para a estrutura simbólica ser construída.

PROGRAMAÇÃO

Anúncio oficial do concurso – 23 de fevereiro de 2013

Prazo para primeiras inscrições – de 01 de março até 01 de maio de 2013

Prazo para inscrições tardias – de 02 de maio até 30 de junho de 2013

Prazo final para perguntas – 10 de junho de 2013

Prazo final para envio de trabalhos – 05 de julho de 2013

Avaliação do júri – 10 a 17 de novembro de 2013 Anúncio dos vencedores e publicação em http://www.ac-ca.org – 20 de julho de 2013

*Todos os prazos são 23:59-00:00 GMT (Londres).

TAXAS DE INSCRIÇÃO

Inscrição antecipada: EUA $ 80 a partir de 01 de março a 01 de maio 2013

Inscrição tardia: EUA $ 120 a partir de 02 de maio a 30 de junho de 2013

Os participantes podem se inscrever preenchendo o formulário e enviar com pagamento por débito / cartão de crédito através de um gateway seguro.

PREMIAÇÃO

Os participantes ganhadores receberão prêmios que totalizam EUA $ 6,000 com a distribuição da seguinte forma:

1 º Lugar: EUA $ 3.500

2 º Lugar: EUA 1.700 dólares

3 º Lugar: EUA $ 800

Além dos premiados serão destacados projetos com menção honrosa.

PUBLICAÇÃO

1 º Premio, 2 º Premio e 3 º Premio será publicado em revistas seguintes, bem como sobre o [AC-CA] website ™:

• Wettbewerbe-Aktuell Magazine (Alemanha)

• Revista Concept (Coréia)

• Monitor International Magazine (Alemanha, França, Rússia)

• ASK Magazine (Egito)

• Futuro Arquitecturas Architecture Magazine (EUA e China)

• Revista Arte Positiva (Itália, Alemanha, Reino Unido)

• Arcoweb Magazine (Brasil)

CONCURSO  JÁ REALIZADO

SCHOOL 4 BURMA

competição

PROPOSTA

Competição com o objetivo de projetar uma escola modular para refugiados e comunidades de migrantes situados na fronteira da Birmânia e Tailândia. O principal desafio do projeto era permitir a montagem e desmontagem da escola devido à limitação da propriedade da terra e a oportunidade de um dia mudar a escola de volta a fronteira com a Birmânia. A competição foi um enorme sucesso com as entradas de mais de 30 países, atraindo ampla cobertura da mídia.

ORGANIZAÇÃO

Building Trust Internacional, é uma organização sem fins lucrativos que oferece assistência de projeto para comunidades carentes que avalia áreas problemáticas e que se propõe a buscar soluções sustentáveis e econômicas. Ela procura aproveitar os recursos naturais que estão disponíveis no local, tais como material de construção, assim como estabelecer uma troca de conhecimentos entre profissionais e voluntários da região.

COMO SURGIU

Em uma das viajem de David Cole, um dos fundadores da Building Trust Internacional, a Mae Soe, se deparou com a seguinte situação, nesse local, as comunidades mais carentes não tem o direito de ter uma terra deles, e para que as crianças tivessem acesso à educação, era necessário que a escola pagasse um imposto para o uso do terreno, tornando inviável, já que trata-se de uma comunidade carente.

Cole,  em uma entrevista disse: “Nós gostaríamos de agradecer a todos aqueles que participaram. O padrão de entrada de projeto que recebemos foi incrível. Temos o financiamento para desenvolver o projeto vencedor, mas agora também estamos à procura de parceiros de financiamento para um número de entradas que acreditamos que poderia ser usado para ajudar outras escolas da região. A competição tem sido um grande sucesso e destaca o papel fundamental que os arquitetos e designers têm em lidar com questões globais “.

Sendo assim, A Building Trust International, criou um concurso, onde o objetivo era conseguir unir a falta de investimento com um projeto móvel e sustentável.

Foram em media 800 pessoas de 30 países participando, e os vencedores foram Amadeo Bennetta e Daniel LaRossa, ambos da Califórnia.

O PROJETO

24

O projeto vencedor de Amadeo Bennetta e Daniel LaRossa, ambos estudantes da Universidade de Berkeley, apresentaram um projeto que procurou atender todas as exigências propostas pelo concurso. Usando componentes que podem ser montados no local de uma forma flexível para acomodar as necessidades da escola, e com um sistema adaptável as condições do local, conseguiram atingir a intenção de ser móvel, sustentável e funcional.

O vencedor vencedor Amadeo Bennetta disse: “Estamos muito contentes por termos sido escolhidos e estamos entusiasmados em ver esse projeto se tornar uma realidade, continuando a aperfeiçoar o projeto original em um prédio real, viável e implementável.”

O destaque veio a partir da combinação entre elementos estruturais pré-fabricados com materiais da região, como por exemplo, o bambu, que foi utilizado para os painéis modulares, que deu a fachada uma identidade diferenciada. Esses painéis foram feitos por voluntários, que aprenderam através de um workshop de trabalhadores da cidade.

Assim como os painéis, toda a construção da escola foi realizada por voluntários e pela própria comunidade, isso e outros fatores fizeram da construção, uma obra de custo baixo.

A taxa de inscrição foi revertida nas despesas da obra.

O projeto melhorou o ambiente de aprendizado das crianças, proporcionando a educação para aproximadamente 500 crianças, superando a expectativa inicial que seria de 350.

25

26

CARACTERÍSTICAS DO PROJETO

– Iluminação natural;

– Ventilação natural;

– Circulação livre;

– Fundação feita com pneus, pedra e areia;

– Decks de madeira que captam a água;

– Aberturas e varandas estratégicas para usar de forma proveitosa a incidência solar, tornando a construção mais sustentável;

– Teto formado por tecido impermeável.

28

29

27

ARTIGO ESCOLHIDO

000

O artigo escolhido trata de um concurso de fotografia; o Eye Time 2012, organizado pelo Projeto Morpholio.

O númedo de participantes inscritos foi grande, e os finalistas foram selecionados e divididos em duas categorias, sendo elas:  talentos emergentes e vozes do futuro. Houve uma grande variedade de estilos e técnicas criativas, os artistas foram ousados o suficiente para enfrentar o mundo com sua voz.

O concurso se resumia em promover e publicar novos talentos emergentes através de pesquisa, exploração, investigação, e também a partir da influencia digital no campo da fotografia, no consumo, e questionando a cultura e as redes sociais.

FOTOS VENCEDORAS

aa

aaa

aaaa

O critério de seleção foi através da criação de um aplicativo para celulares, onde os artistas publicavam sua arte e  os internautas  davam “likes”  na suas imagens favoritas, e conforme o maior numero de curtidas, foram selecionadas as imagens acima como vencedoras.

– Quer conhecer o site?  – http://www.deathbyarchitecture.com/recent.html;jsessionid=DAA0D44C2D34EDB6C58AA08DA2652242?method=Search