BRINCADEIRA COLETIVA [PLOT]

A revista PLOT é produzida em Buenos Aires desde 2010 trazendo um conteúdo sobre arquitetura contemporânea em um momento no mundo onde tem uma necessidade e a possibilidade da renovação de argumentos. Os projetos apresentados na revista são relativamente recentes, mas sempre com um tom idealista, sem deixar de lado responsabilidades sociais e políticas. A revista não é muito conhecida no Brasil ainda, mas tem potencial em design e qualidade, tanto da revista física quanto de conteúdo apresentado.

Selecionamos para esse post três projetos a partir das edições da PLOT que lidam com o entorno de uma forma especial e o processo de construção como o meio para o resultado final. Mesmo sendo em três continentes diferentes, pode-se ver semelhanças nos projetos, a inclusão das pessoas no projeto [com graus diferentes de participação], o uso escolhido e materiais construtivos:

BIJLMERPARK

arquitetos_ CARVE, em parceria com Marie-Laure Hoedemakers

área_ 8400m2

localização_ Amsterdam, Holanda

anos_ 2009-2011

[plot 28]

Bijlmerpark-by-carve-landscape-architecture-03

O projeto de BIJMERPARK envolve muito mais do que um simples parque para crianças; ele faz parte de um mini master plan de uma área que sofreu da “morte” do ideal do modernismo. Logo se vê uma necessidade de renovação de áreas antes limitadas pelos pensamentos modernistas, e assim foi que esse mini master plan foi pensado e articulado. Rodear um parque esquecido com residências para assim florescer e dar vida àquela parte do bairro, e junto com esse parque desenvolver áreas que pudessem ser ocupadas por esses novos residentes.

Bijlmerpark-by-carve-landscape-architecture-08

Uma dessas áreas é o BIJLMERPARK, um lugar para brincadeiras; o escritório CARVE acredita que as brincadeiras são extremamente importantes para qualquer criança e as cidades precisam dessas oportunidades. O projeto é desenvolvido por um grande anteparo de cordas e plataformas para as crianças entrarem e percorrerem com alguns elementos quadrados amarelos que servem de obstáculos, mas também promovem outros tipos de brincadeiras e banheiros públicos.

Bijlmerpark-by-carve-landscape-architecture-01

É necessário ver que a escolha de usar cores não foi ao acaso, pois com um inverno longo precisa-se de cores para alegrar a paisagem branca e cinza. As cores [rosa e amarelo] percorrem todo o território ocupado por essas brincadeiras, conduzindo as crianças a perceber que o limite não é aquele anteparo, aquele apartamento, aquele aparelho celular… Que é importante sair e brincar, ver que em uma cidade grande pode se ter o conforto de se relacionar com outras crianças em um ambiente próprio. Existem poucos lugares como esse, mas quando valorizados, são muito bem ocupados.

Bijlmerpark-by-carve-landscape-architecture-12

Bijlmerpark-by-carve-landscape-architecture-20

RESIDÊNCIA PARA ARTISTAS E CENTRO CULTURAL THREAD

arquitetos_ Toshiko Mori Architects

área_ 1050m2

localização_ Sinthian, Senegal

anos_ 2014-2015

[plot 26]

Sinthian_TMA_6410

Esse debate nos leva ao segundo projeto, com um uso tão específico quanto ao projeto direcionado à crianças, uma escola direcionada para artistas. É impressionante ver que uma fundação de um artista renomado [Josef Albers] consegue chegar de um estado tão careta e rico que nem Connecticut até Senegal, um lugar pouco destacado no mundo. A intenção da arquiteta foi um processo que envolvesse o lugar que a arquitetura seria inserida que pode ser visto nas escolhas dos materiais, das cores, do partido da implantação e do uso do local.

site_plan

detail_(2)

Sinthian_TMA_7772

O foco central do projeto é abrigar artistas da região e artistas de qualquer outro lugar do mundo, com uma vontade de poder dar a opção de adotar como musa Senegal, um lugar rico em cultura, pessoas e natureza porém pobre em água, economia e estrutura. O CENTRO CULTURA THREAD usa-se de palha, tijolo, bambu e conhecimento dos pedreiros e moradores locais para criar uma arquitetura que valorizaria os aspectos da vida na vizinhança de Sinthian. A cobertura inclinada criada com palha, designada ao escoamento de água para coletas específicas, já que água é tão rara na região. As áreas construídas por baixo dessa contínua e apaixonante cobertura, abriga dormitórios e ateliês semi cobertos que podem atuar como mercado, reuniões da vila e até eventos característicos locais.

Sinthian_TMA_6362

diagram

section

O Centro THREAD tem a intenção de servir como apoio para  a vila local e também para as vilas da redondeza, querendo dar a comunidade alguma estrutura para poderem ter desenvolvimento pessoal, como humanos e como artistas. Pode-se dizer que esse é o espaço para expressar brincadeiras e promover convívio de todas as idades.

portada_Sinthian_TMA_8063

PRAÇA DE NOSSOS SONHOS

arquiteto_ Lukas Fuster

área_ 14000m2

localização_ Remansito, Villa Hayes, Paraguai

anos_ projeto: 2013 e construção: 2014

orçamento_ $24000

[plot 26]

PORTADA_01.Plaza_de_Nuestros_Sueños_-_Ph.Federico_Cairoli_(low)

O último projeto leva nele uma importância muito maior no processo do projeto e da construção do espaço do que o resultado final. O nome já diz muito: PRAÇA DE NOSSOS SONHOS. Nossos, do coletivo. Podemos lembrar que vemos aos anos passarem, que o coletivo consegue ir mais longe do que o indivíduo, e o ganhador do Pritzker [Aravena] desse ano nos lembra disso. O processo, em algumas situações, é mais importante para a comunidade ou para a vizinhança, ou para a cidade do que o resultado final. Pois quando o processo é bem feito, o resultado é consequência.

Presentacion AntePro RemansitoFINAL octubre 2013

18.Plaza_de_Nuestros_Sueños_-_Ph.Federico_Cairoli_(low)

A PRAÇA DE NOSSOS SONHOS, como qualquer praça, é para valorizar o espaço público e a vida ao ar livre. O arquiteto fez questão de um processo participativo no projeto da praça para assim, quando finalizasse, as pessoas teriam conquistado aquele espaço. Podem considerar que aquele projeto é delas e assim utilizar com mais frequência e dividir o espaço com a vizinhança para ocupar a cidade com mais prazer. Do sonho de cada um, criando um sonho conjunto, rumo à realidade idealizada.

03.Plaza_de_Nuestros_Sueños_-_Ph.Federico_Cairoli_(low)

Fuster [o arquiteto] pediu a todos que imaginassem aquilo que desejaria naquela praça, e assim foi se criando esboços, croquis, maquetes de argila do que aquilo poderia se desenvolver. E assim, como um coletivo conseguiu-se construir com a ajuda dos moradores e usando materiais doados, uma praça pronta para ser ocupada; um mirante, balanços, rede para escalar, carrossel, mesinhas para atividades locais e qualquer outra brincadeira que quiser por lá fazer.

Presentacion AntePro RemansitoFINAL octubre 2013

Presentacion AntePro RemansitoFINAL octubre 2013

11.Plaza_de_Nuestros_Sueños_-_Ph.Federico_Cairoli_(low)

Com esses projetos e o incentivo da Revista PLOT em destaca-los não pela arquitetura monumental e chamativa, mas pelos princípios de educação e respeito pela sociedade inserida no meio de convívio urbano, nos faz refletir sobre o ideal casamento entre arquitetura e urbanismo, com a sensibilidade de estruturar soluções para problemas socioeconômicos e ambientais.

 

Giovana Belinello e Juliana Valle.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s